Ferramenta de Busca
Capa | Modelos de Petições | Modelos de Contratos | Doutrinas | Jurisprudências | Sentenças | Dicionários | Loja Virtual
Minutos Que Antecedem E Sucedem À Jornada Normal De Trabalho – Norma
Jurisprudência - Direito do Trabalho


MINUTOS QUE ANTECEDEM E SUCEDEM À JORNADA NORMAL DE TRABALHO – NORMA COLETIVA QUE EXCLUI SEU CÔMPUTO DA JORNADA DE TRABALHO – ILEGALIDADE – Não obstante tenham os sindicatos obreiros e patronais, bem como os sindicatos obreiros e as empresas, a prerrogativa de firmar convenções ou acordos coletivos, respectivamente, é certo que não podem dispor de direitos dos trabalhadores devidamente assegurados em Lei. Assim, a norma coletiva que exclui do cômputo da jornada de trabalho os minutos que antecedem e sucedem à jornada normal de trabalho, acima dos limites da razoabilidade admitida na Orientação nº 23 da SDI do C. TST, não pode ser considerada legal, em face do princípio da irrenunciabilidade aplicável ao Direito do Trabalho. (TRT 12ª R. – RO-V . 3208/2001 – (02794/2002) – Florianópolis – 2ª T. – Rel. Juiz Telmo Joaquim Nunes – J. 13.03.2002)



LITIGANTE DE MÁ-FÉ – CONLUIO ENTRE AUTOR E EMPREITEIRA – APLICAÇÃO SOLIDÁRIA DA PENA – O posicionamento da real empregadora (empreiteira), que expressamente reconhece os pedidos formulados pelo obreiro, deixando de acostar aos autos qualquer documento e acatando integralmente pleitos absurdos, deixa evidente o conluio entre esta e o demandante, bem como a intenção de, utilizando-se do Judiciário e apostando em eventual revelia da Construtora, auferir ilicitamente verbas incabíveis. Refira-se que o princípio da lealdade processual aplica-se não só nas relações recíprocas, mas também com relação ao órgão jurisdicional. Assim, indubitável a intenção maliciosa do autor, que faltou deliberadamente com a verdade dos fatos, procedendo com evidente má-fé e formulando pretensões destituídas de fundamento (em infringência ao art. 14 do CPC, aplicado subsidiariamente), aplica-se-lhe, de ofício, as penalidades decorrentes da litigância de má-fé. Em face da anuência da primeira reclamada, fica esta condenada solidariamente ao pagamento de referidas multa e indenização, a teor do parágrafo primeiro, do art. 18, do diploma legal suso mencionado. (TRT 15ª R. – Proc. 35101/00 – (8940/02) – 5ª T – Relª Juíza Olga Aida Joaquim Gomieri – DOESP 04.03.2002 – p. 70)



CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS - AUSÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SUBSIDIARIA DO ESTADO DE MATO GROSSO E DA AGER (AGÊNCIA REGULADORA CRIADA PELA LEI ESTADUAL N. 7.101/99). A responsabilidade é exclusiva do concessionário pela execução das atividades decorrentes do contrato de concessão, cuja contraprestação provém do usuário do serviço, mediante pagamento de determinada tarifa pela sua utilização, tornando-se, pois, o responsável direto pelo cumprimento das obrigações decorrentes dos contratos de trabalho que firmar. Nesse contexto, não se tratando a hipótese vertente, de contrato de terceirização de serviços, mas de concessão de serviços públicos, inaplicável, neste particular, a Súmula 331 do colendo TST. Recurso Obreiro a que se nega provimento, no particular. (TRT23. RO - 00564.2007.001.23.00-8. Publicado em: 02/04/08. 1ª Turma. Relator: JUÍZA CONVOCADA ROSANA CALDAS)



RECURSO - REPRESENTAÇÃO PROCESSSUAL - MANDATO TÁCITO - POSSIBILIDADE - FORMA DE COMPROVAÇÃO. No que tange à representação processual em grau de recurso, o C. TST deixou assentada a possibilidade de conhecimento de apelo, desde que presente a figura do mandato tácito, que se caracteriza quando o advogado tenha acompanhado a parte a pelo menos uma audiência. A comprovação desta espécie de mandato dá-se por meio da ata da audiência que registra a presença e o nome do advogado ou o número de sua inscrição na OAB, não bastando a simples assinatura em termos ou petições no processo, que não comprova o mandato tácito. Presente a figura do mandato tácito, o recurso deve ser conhecido, conforme o entendimento contido na Súmula nº 164, do C. TST. (TRT/SP - 01367200624102005 - RO - Ac. 4ªT 20090799458 - Rel. Paulo Augusto Camara - DOE 02/10/2009)



HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS – ADVOGADO PARTICULAR – INDEVIDOS – O reclamante não está representado pelo Sindicato da categoria. Assim, por não preenchidos os requisitos da Lei nº 5.584/1970, em seu art. 14, § 1º, não há como deferir o pagamento da verba honorária advocatícia. (TRT 15ª R. – RO 12.753/2000-2 – Rel. Juiz Antônio Miguel Pereira – DOESP 28.01.2002)



HORAS EXTRAS – ÔNUS PROBATÓRIO – É do trabalhador o ônus probatório do labor extraordinário. CLT, art. 818, e CPC, artigo 333, inciso I. (TRT 15ª R. – RO 14816/2000 – Rel. Juiz Luiz Antônio Lazarim – DOESP 04.03.2002)



EXECUÇÃO – CRÉDITO JUNTO A TERCEIRO – CONSTRIÇÃO ANTERIOR NÃO EFETIVADA – NOTIFICAÇÃO DO PEDIDO DE SUBSTITUIÇÃO DA PENHORA – DESNECESSIDADE – AUSÊNCIA MENOS GRAVOSA – HIPÓTESE INDICATIVA DE PROCRASTINAÇÃO DO FEITO – SEGURANÇA DENEGADA – O Comprometimento financeiro da executada é incompatível com a falta de insurgência imediata à penhora de crédito e à transferência de valor considerável para garantia do juízo. A percepção desses fatos 8 meses depois revela, antes, um objetivo procrastinador do feito. (TRT 2ª R. – Proc. 01801/2001-9 – (2002002760) – SDI – Rel. Juiz Plínio Bolívar de Almeida – DOESP 05.03.2002)



IMPUGNAÇÃO DOS CÁLCULOS – ANULAÇÃO DA DECISÃO – Correta a decisão que não conhece da impugnação aos cálculos por entendê-la preclusa, na forma do disposto no § 2º, do art. 879, da CLT. (TRT 17ª R. – AP 546/2001 – (599/2002) – Rel. Juiz Geraldo de Castro Pereira – DOES 21.01.2002)



A hora extra noturna é mais cara que a hora extra diurna e mais cara que a hora noturna normal. Isso implica em reconhecer a incidência de ambos os adicionais sobre a mesma base de cálculo, a hora normal. (TRT/SP - 01762200304302001 - AP - Ac. 3ªT 20090860572 - Rel. ANA MARIA CONTRUCCI BRITO SILVA - DOE 20/10/2009)



JUSTA CAUSA. COMETIMENTO DE FALTA GRAVE. AUSÊNCIA DE PROVAS. A ocorrência de falta do empregado que justifique a resolução do contrato de trabalho deve ser comprovada pelo empregador, a quem cabe o ônus da prova, a teor do art. 818 da CLT, c/c art. 333, I, do CPC, haja vista as conseqüências para a vida privada e profissional do trabalhador, que terá sérias dificuldades para recolocar-se no mercado de trabalho. Da análise do conjunto probatório produzido nos autos, concluo que a empresa não se desvencilhou do ônus de demonstrar cabalmente os fatos narrados em contestação. (TRT23. RO - 01104.2007.051.23.00-3. Publicado em: 25/04/08. 2ª Turma. Relator: DESEMBARGADORA LEILA CALVO)



MULTA DO ART. 477, § 8o DA CLT. Incabível a incidência da multa do art. 477 § 8o da CLT quando houve se deu no prazo o pagamento das verbas rescisórias. Diferenças que decorrem de matéria de fato controvertida não ensejam a aplicação da multa em questão. Regras atinentes à aplicação de multas merecem, sempre, interpretação restritiva. Recurso da ré a que se dá provimento. (TRT/SP - 00448200825102007 - RO - Ac. 11aT 20090226644 - Rel. Eduardo de Azevedo Silva - DOE 14/04/2009)






Jurisprudências relacionadas
Confira outras jurisprudências relacionadas
Minutos Que Antecederam Ou Sucederam O Início/término Da Jornada
Minutos Que Sucedem E Antecedem À Jornada De Trabalho – Havendo
Minutos Residuais – Diante Do Entendimento Consubstanciado No
Moradia Gratuita – Compensação Pelo Trabalho – Salário Utilidade –
Motorista – Categoria Diferenciada – Diferenças Salariais E Ticket
Motorista – Trabalhador Autônomo – O Serviço Do Reclamante Era
Motorista – Trabalho Externo – Horas Extras – Ao Trabalhador Que
Motorista E Ajudante Distribuidores – Salário Fixo + Comissões –
Motorista Entregador – Atividade Externa Não Abrangida Pelo Art. 62,
Mudança De Regime Celetista Para Estatutário – Extinção Do Contrato –
Multa – § 8º Do Art 477 Da Clt – É Devida A Multa Do § 8º Do Art. 477
Multa – § 8º, Do Art. 477, Da Clt – A Negociação Judicial Anterior,
Multa – Art. 477 Da Clt – Pairando Controvérsia Sobre Haveres
Multa – Art. 477, § 8º – Indevida É A Multa Do Art. 477, § 8º Da Clt
Multa – Art. 477, Parágrafo 8º Da Clt – Administração Pública – O
Multa – Art. 477, Parágrafo 8º, Da Clt – É Devida Sobre A
Outras Jurisprudências

Modelos de Petições
Modelos diversos de nosso repertório
Ação de Indenização Contra Vendedor de Imóvel que não lhe Pertencia
Ação de Indenização por Danos Morais - Nome Mantido no SERASA
Ação de Atentado - Requeridos Provendo Estragos em Chácara
Embargos de Terceiro - Veículo Penhorado - Nula a Alienação
Ação de Reparação de Dano Causado por Colisão de Veículo com Caminhão
Pedido de Habeas Corpus - Esgotado o Prazo da Instrução Processual
Ação Anulatória de Título de Crédito
Ação Cautelar de Sustação de Protesto de Duplicatas
Ação Cominatória para Transferência de Veículo
Reclamatória Trabalhista - Empregada Doméstica
Exceção de Incompetência em Razão do Lugar da Sede da Empresa
Ação de Cobrança de Nota Promissória Prescrita
Contestação à Indenizatória por Rescisão de Representação Comercial
Ação de Restituição de Quotas de Consórcio
Recurso Ordinário Trabalhista - FGTS, Hora Extra, Contrato de Trabalho
Embargos Infringentes para Reformar Acórdão que Fixa Pensão Alimentícia
Outros Modelos de Petições
Conteúdo Completo
Todo o acervo do site em seções
Modelos de petições
Modelos de contratos
Recursos de Multas
Textos doutrinários
Sentenças e acórdãos
Matérias publicadas
Expressões em latim
Dicionário jurídico
Jurisprudências
Súmulas


Central Jurídica
Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização