Diciona

Empregada Doméstica Contrato De Experiência Considero Que O

Jurisprudência - Direito do Trabalho

Empregada doméstica. Contrato de experiência. Considero que o contrato de experiência, por ser modalidade que visa ao reconhecimento de um primeiro contato e a uma avaliação recíproca das partes para a manutenção ou extinção do vínculo empregatício, tem cabimento na relação de emprego doméstico, eis que não se restringe às modalidades de prestação de serviços utilizadas pelo empregador a título de obtenção de lucro. II - Estabilidade. Contrato de duração determinada. Não importa a modalidade de estabilidade. Esta será sempre excluída dos contratos de duração determinada. III - Multa prevista no artigo 477 da CLT. Incabível sua aplicação no contrato a termo. Recurso ao qual nega-se provimento. (TRT/SP - 00735200707902005 - RS - Ac. 12aT 20090487030 - Rel. Delvio Buffulin - DOE 03/07/2009)

HORAS SUPLEMENTARES – A ausência dos registros de horário referentes a determinado período da contratualidade, em relação ao qual é alegada a realização de sobrejornada, implica o reconhecimento do direito à percepção de horas suplementares, de acordo com a jornada declinada na peça inicial. (TRT 12ª R. – RO-V . 4835/2001 – (02561/2002) – Florianópolis – 2ª T. – Rel. Juiz João Cardoso – J. 13.03.2002)

CONCILIAÇÃO - INSS - DISCRIMINAÇÃO DA NATUREZA DAS PARCELAS - REGULARIDADE. Não havendo qualquer demonstração no sentido de que as partes, por meio do acordo homologado, objetivaram utilizar-se do processo para alcançar objetivo ilícito ou simular relação jurídica inexistente (art. 129 do CPC), bem como observaram correspondência entre os valores discriminados no termo da avença e aqueles constantes na inicial, não se há falar em declaração de irregularidade no processado, mantendo-se íntegra a natureza das parcelas especificadas no acordo. Recurso ordinário a que se nega provimento. (TRT23. RO - 00827.2007.036.23.01-5. Publicado em: 24/04/08. 1ª Turma. Relator: JUIZ CONVOCADO PAULO BRESCOVICI)

EXECUÇÃO – Bens do sócio Na sociedade anônima o diretor não responde por dívidas da sociedade, a não ser quando provada a sua responsabilidade por gestão temerária ou fraudulenta. (TRT 2ª R. – Proc. 00394/2001-1 – (2002003821) – SDI – Rel. Juiz Plínio Bolívar de Almeida – DOESP 19.03.2002)

EMBARGOS EM RECURSO DE REVISTA. ADICIONAL DE PERICULOSIDADE. MOTORISTA. TRANSPORTE DE COMBUSTÍVEL. TANQUE SUPLEMENTAR. 1. A teor do art. 193, da CLT, o direito ao adicional de periculosidade pressupõe a classificação da atividade perigosa na relação contida na NR-16 da Portaria n.º 3.214/78, do Ministério do Trabalho, cujo item -j- do Quadro n.º 03 prevê como atividade de risco o -transporte de vasilhames (em caminhões de carga), contendo inflamável líquido, em quantidade igual ou superior a 200 litros-. 2. Não viola, pois, o art. 896, da CLT, acórdão turmário que mantém adicional de periculosidade a motorista que, de acordo com os elementos fáticos descritos no acórdão regional, transporta tanque suplementar de combustível de 300 litros, para abastecimento do próprio caminhão. 3. Embargos não conhecidos. (TST. E-RR-732992/2001, Rel. Min. João Oreste Dalazen, DJU de 21/10/2005)

HORAS EXTRAS – CARTÕES-DE-PONTO – VALIDADE – Cartões-de-ponto, conferidos e assinados, mensalmente, pelo trabalhador, ainda que anotados por terceiros, demandam prova robusta de sua invalidade, para justificar o pagamento de diferenças de horas extraordinárias. (TRT 15ª R. – RO 015364/2000 – Rel. Juiz Luiz Antônio Lazarim – DOESP 04.03.2002)

AGRUPAMENTO DE EMPRESAS POR INTERMÉDIO DE CONTRATO CIVIL. POSSIBILIDADE DE RECONHECIMENTO DE GRUPO ECONÔMICO. Entendo que, ainda que duas ou mais empresas estejam agrupadas - em tese - por intermédio de um contrato civil, a existência de grupo econômico pode-se revelar por meio da ingerência exercida por uma empresa sobre a outra, interferindo diretamente nas suas atividades comerciais, ou até mesmo por uma relação de cooperação entre elas, evidenciada pela assunção mútua dos riscos econômicos da atividade ou pela colaboração na gestão dos seus negócios. O reconhecimento de grupo econômico para fins de inclusão de seus integrantes no pólo passivo da lide, tem como objetivo primordial ampliar a margem de garantia de satisfação dos créditos trabalhistas. (TRT23. RO - 00624.2007.003.23.00-5. Publicado em: 23/04/08. 1ª Turma. Relator: DESEMBARGADOR TARCÍSIO VALENTE)







Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato