Diciona

Recurso Ordinário Danos Morais Invasão De Privacidade Princípio

Jurisprudência - Direito do Trabalho

RECURSO ORDINÁRIO. DANOS MORAIS. INVASÃO DE PRIVACIDADE. PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. É certo que o empregador detém o pode diretivo, que lhe permite determinar as diretrizes e os procedimentos internos para a solução de controvérsias. Todavia, essa prerrogativa não se sobrepõe jamais ao princípio da dignidade humana. A revista de pertences, como no caso do armário da reclamante, não pode ser vista como regra ou condição contratual. Como bem salientou o Juízo de 1o grau, se a reclamada oferecia armário com chave para seus empregados guardarem seus pertences, a abertura não autorizada de um deles configura visível invasão de privacidade. (TRT/SP - 00729200407402003 - RO - Ac. 12aT 20090296014 - Rel. Marcelo Freire Gonçalves - DOE 08/05/2009)

INCORPORAÇÃO DE QUINTOS – PLEITO PREVISTO LEGALMENTE – EFEITOS – Diante do conteúdo do art. 3º, da Lei nº 9.624/98, não tendo o servidor completado o interstício igual ou superior a 12 meses no exerício de função comissionada, no período compreendido entre 19/01/95 a 08/04/98, torna-se impossível acolher o pleito de incorporação da parcela de quinto prevista na legislação específica. (TRT 14ª R. – ADM 0988/00 – (0072/02) – Relª Juíza Maria do Socorro Costa Miranda – DJRO 07.02.2002)

HORAS EXTRAS – Deferem-se apenas aquelas autorizadas pelo conjunto probatório existente nos autos. Recurso conhecido e provido em parte. (TRT 11ª R. – RO 1717/01 – (620/2002) – Rel. Juiz Othílio Francisco Tino – J. 07.02.2002)

TERCEIRIZAÇÃO. ILICITUDE. CONCESSÃO AO LABORISTA DOS RESPECTIVOS DIREITOS COLETIVOS. PRINCÍPIO DA ISONOMIA. Demonstrado, nos autos, que o autor executava tarefas inerentes à atividade-fim da COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS - CEMIG, a ele incumbindo atribuições próprias da rotina da tomadora de serviços e essenciais ao funcionamento diário da empresa, impõe-se, pois, concluir que a ENGELE SPE LTDA., prestadora dos serviços, figurou como mera intermediadora de mão-de-obra, em flagrante tentativa de acobertar a relação de emprego. Aplica-se ao autor, assim, em virtude do princípio da isonomia, os direitos coletivos inerentes à tomadora de serviços quanto às diferenças salariais e à PLR. (TRT da 3.ª Região; Processo: 01572-2012-033-03-00-2 RO; Data de Publicação: 06/12/2013; Órgão Julgador: Oitava Turma; Relator: Convocada Ana Maria Amorim Reboucas; Revisor: Sercio da Silva Pecanha)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. PREQUESTIONAMENTO. OMISSÃO INEXISTENTE. O pretenso prequestionamento argüido pelo Embargante também deve pressupor omissão do julgado, a teor do disposto no art. 897-A, da CLT e na hipótese que ora se examina não há qualquer vício a ser sanado. Merecem ser rejeitados os Embargos Declaratórios quando não se verifica nenhuma omissão a ser suprida no acórdão impugnado. (TRT23. EDAP - 00393.2007.081.23.00-5. Publicado em: 03/04/08. 2ª Turma. Relator: DESEMBARGADOR LUIZ ALCÂNTARA)

Vínculo empregatício. Subordinação jurídica presente na prestação de serviços rotulada de autônoma. A prestação de serviços no modelo celetista é a modalidade normal de trabalho em nossa sociedade, Considerando que o normal se presume e o excepcional se prova, incumbia à recorrente, que admite ter se beneficiado das atividades desenvolvidas pelo obreiro em molde diverso, fazer prova dessa circunstância. O conjunto probatório favorece as assertivas vestibulares. A sujeição do trabalhador a três plantões semanais, em horário previamente estabelecido, é incompatível com a alegação de trabalho autônomo. Além disso, os serviços de técnico em radiologia eram indispensáveis à persecução dos fins sociais da empresa recorrente, cujo único objetivo era a "prestação de serviços técnicos em radiologia", conforme consta do contrato social apresentado. A existência de subordinação jurídica e a presença dos demais elementos preconizados nos arts. 2º e 3º da CLT no elo existente entre as partes legitima a decisão proferida. Recurso ordinário a que se nega provimento. (TRT/SP - 01432200536102004 - RO - Ac. 5ªT 20090721807 - Rel. Cíntia Táffari - DOE 18/09/2009)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO – INEXISTÊNCIA DOS VÍCIOS PREVISTOS NO ART. 535 DO CPC – REJEIÇÃO – Não prospera a provocação declaratória quando sua manifesta intenção é a de rediscutir matéria já decidida pela decisão hostilizada, uma vez que sua finalidade única é a de corrigir eventuais defeitos de declaração dos provimentos judiciais. Não sendo esta, portanto, a hipótese dos autos, rejeitam-se os embargos. (TRT 19ª R. – EDcl 00800.1999.055.19.00.9 – Rel. Juiz João Leite – J. 31.01.2002)







Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato