Capa  |  Concursos  |  Doutrinas  |  Matérias  |  Jurisprudências  |  Modelos  |  Sentenças  |  Dicionários  |  Livraria  |  Loja Virtual
 Navegação
  Capa
  Mapa do site
  Livraria Jurídica
  Loja Virtual
 Bases Jurídicas
  Jurisprudências
  Súmulas
 Modelos
  Petições
  Contratos
  Recursos de Multas
 Doutrinas
  Cíveis
  Criminais
  Trabalhistas
 Matérias
  Notícias
  Julgados
 Sentenças
  Cíveis
  Criminais
  Trabalhistas
 Dicionários
  Termos jurídicos
  Expressões em Latim
 Especiais
  Advocacia de Sucesso
  Concursos Públicos
 Gerência
  Editorial
  Privacidade
  Fale conosco
  Parceiros
 Busca


 Matéria > Julgados > Dano Moral
Links Patrocinados e Conteúdo relacionado
Expor situação financeira de empregado gera dano moral
Banco que protesta duplicata indevidamente está sujeito a pagar dano moral
Hotel é condenado a pagar indenização a casal em lua-de-mel
Radiodifusora que caluniou vereadora é condenada
Abordagem constrangedora em supermercado gera dano moral
Acidente em corrida de kart gera indenização
Dissabores normais do cotidiano não são indenizáveis
Laboratório indeniza paciente por erro em exame de Aids
Julgados - Dano Moral    Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2005
Uma dona de casa, que mora em Três Corações, vai se beneficiar de uma indenização, por danos morais, no valor de R$ 9 mil, a ser paga por um laboratório de análises clínicas de Belo Horizonte. Ela recebeu, em maio de 1995, um diagnóstico de infecção pelo vírus da Aids, mas o resultado estava errado. A decisão é da 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

A pedido de seu médico, a paciente submeteu-se ao exame de HIV em um laboratório de Três Corações, que, não dispondo de tecnologia para realizar o exame, enviou a amostra para o laboratório de Belo Horizonte.

De posse do resultado positivo, o médico indicou-lhe um tratamento para prevenir a evolução da doença. Temendo ver-se afastada do convívio social, nada comentou a respeito de sua situação e nem voltou ao médico para iniciar o tratamento.

Depois de um ano e quatro meses, não sentindo nenhum dos sintomas característicos da doença, voltou ao médico, que decidiu solicitar novo exame, desta vez, com metodologia diferente do primeiro. O resultado foi negativo.

Como ainda restavam dúvidas sobre o real estado de saúde da paciente, repetiu-se o procedimento, em laboratório distinto, com a utilização de dois métodos já usados antes, o “Elisa” e o “Western Blot”. Este teste também não comprovou a infecção.

O fato levou a dona de casa a ajuizar ação de indenização, por danos morais, contra a empresa de análises clínicas que emitiu o primeiro laudo.

Ao contestar, a empresa alegou que trabalha em parceria com o laboratório onde foi colhida a amostra do primeiro exame, não tendo qualquer contato com a paciente e que, diante do resultado positivo, aguardou a remessa de novo material para confirmação do diagnóstico, procedimento usual e normatizado pelo Ministério da Saúde.

Mas, depois de analisarem os autos, os desembargadores Osmando Almeida (relator), Pedro Bernardes (revisor) e Antônio Pádua (vogal) observaram que, apesar de os serviços não terem sido contratados diretamente com o laboratório de Belo Horizonte, isso não o desonera da obrigação de pautar-se com responsabilidade e prudência na realização dos exames. E que, ciente de que o exame possuía alta margem de erro quanto à constatação da doença, não cuidou de advertir a interessada.

Certos de que os sofrimentos seriam evitados, caso os procedimentos necessários tivessem sido observados, os desembargadores condenaram o laboratório a indenizar a paciente em R$ 9 mil, devidamente corrigidos, ficando vencido o revisor, que entendeu que o valor deveria ser majorado em R$ 15 mil.
Clique aqui para ser direcionado à fonte
Links Patrocionados

Matérias relacionadas
Choque emocional causado por recall não configura dano moral
Supermercado indeniza cliente acusado de furto de sabonetes
Promotor de justiça é condenado a indenizar Desembargador
Protesto indevido e inscrição no Serasa gera indenização de R$ 10 mil
Mantida indenização a mãe de vítima de roleta russa
Abordagem constrangedora em supermercado gera dano moral
Banco Meridional consegue reduzir indenização por dano moral
Constrangimento em supermercado gera indenização
Clique aqui para ver todas as matérias relacionadas

Veja notícias e julgados de uma matéria específica
AdvocaciaDireito do ConsumidorDireito do TrabalhoDireito CivilDireito de FamíliaDano MoralDireito PenalDireito Processual TrabalhistaDireito Processual CivilDireito Processual PenalDireito ConstitucionalDireito do TrânsitoDireito TributárioDireito InternacionalDireito EleitoralDireito AdministrativoDireito PrevidenciárioDireito ComercialDireito AmbientalDireito MédicoDireito MilitarDiversos

Modelos de Petições - Modelos de Contratos - Recursos de Multas de Trânsito
Jurisprudências Selecionadas - Jurisprudências
© Copyright Central Jurídica - 2004/2008.
Todos os direitos reservados.
Tabela cjn_cache atualizada com sucesso!