Ferramenta de Busca
Capa | Modelos de Petições | Modelos de Contratos | Doutrinas | Jurisprudências | Sentenças | Dicionários | Loja Virtual
Pedido de Decretação de Revelia da Ré em Ação Regressiva
Petições - Peças Processuais Cíveis - Em ação regressiva de indenização por dano ocasionado em acidente de trânsito é reinterado o pedido contido na inicial pedida a declaração da revelia e da impossibilidade de denunciação da lide.


EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ....ª VARA CÍVEL DE ....



AUTOS Nº ....

.......................................devidamente qualificada, por seu advogado adiante assinado, nos autos de AÇÃO REGRESSIVA DE INDENIZAÇÃO, promovida contra ........................................, em tramitação nesse digno Juízo, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, expor e requer:


DA REVELIA

"O não comparecimento do réu à audiência importa revelia, ..." (in RAMPR 47/246).

Consoante denota-se dos autos, a requerida não compareceu na Audiência designada (fls. ....).

No entanto, reza o artigo 278 do CPC que "O RÉU SERÁ CITADO PARA COMPARECER À AUDIÊNCIA ...".

Portanto, não comparecimento do réu a audiência importa em revelia.

Ressalte-se que a Audiência do Procedimento Sumário é UNA, embora em razão do Judiciário encontrar-se assoberbado de processos, adotou-se praxe de dividí-la em duas, ou seja, a 1ª visando a conciliação e a 2ª para instrução e julgamento, caso inexista conciliação. Mas mesmo assim, frise-se, que a Audiência é UNA, devendo o réu estar presentes em todos os atos e partes.

Desta forma, requer a V. Exa., seja decretada a revelia da requerida, e por via de conseqüência, julgando procedente o pedido inicial.

Contudo, se assim não entender Vossa Excelência, melhor sorte não resta a requerida, senão vejamos.


DA IMPOSSIBILIDADE DE DENUNCIAÇÃO À LIDE

Pleiteia a requerida, a denunciação à lide do Sr. ...., condutor do caminhão envolvido no acidente em questão.

Primeiramente, "concessa maxima venia", indispensável aduzir que não é o caso de litisconsórcio necessário, visto que na denunciação inexiste solidariedade de condenação, mas sim, eventual direito de regresso, a ser apreciado na lide secundária, instaurada entre o denunciante e terceiro.

Outrossim, como se sabe, a doutrina, atualmente, entende que na hipótese do inciso II, do art. 70, não se enquadram os casos de simples direto de regresso, mas tão somente aquela responsabilidade derivada de garantia própria.

O renovado Prof. VICENTE GRECCO FILHO, (in "Direito Processual Civil Brasileiro", 1º vol., pg. 143) ensina que:

"Qual, porém, o critério que deve limiar a denunciação?

Parece-nos que a solução se encontra em admitir, apenas, a denunciação da lide em casos de ação de garantia, não admitindo os caos de simples ação de regresso, i.e., a figura só será admissível quando, por força de lei ou do contrato, o denunciado for obrigado a garantir o resultado da demanda, ou seja, a perda da primeira ação, automaticamente, gera a responsabilidade do garante"

Com efeito, THEOTONIO NEGRÃO (in "CPC e Legislação Processual em vigor", ed. Malheiros, 25ª ed., pg. 116, nota 04 ao art. 70) assevera que:

" Não se admite denunciação:

no caso de mero direito regressivo eventual, a surgir da sentença condenatória do réu (RT 59/11)"

Na verdade, inadmissível a denunciação a lide para atendimento de qualquer pretensão meramente regressiva ou solidária que não se funde em obrigação do denunciado em prestar garantia ao denunciante, visto que o direito de regresso só se define pela lei ou contrato, quando há efetiva participação de outra parte.

Ademais, o artigo 70 e incisos do CPC dão suporte à intervenção de terceiro, apenas àquele que estiver obrigado, pela lei ou pelo contrato, a indenizar, em ação regressiva, o prejuízo de que perder na demanda. Assim, não é qualquer terceiro que pode ser convocado a vir participar de uma demanda, na qualidade de litisdenunciado.

E para fulminar a pretensão da requerida, nossos Tribunais, inclusive o E. TRIBUNAL DE ALÇADA DO PARANÁ, reiteradamente vêm decidindo que:

"DENUNCIAÇÃO DA LIDE - Acidente de veículos - Motorista culpado - Chamamento ao processo - Pedido indeferido - Apelação não provida.

Não cabe, na responsabilidade civil, a denunciação da lide ao preposto por iniciativa do preponente acionado. Assim porque é da essência da solidariedade passiva o poder exigir-se de um só dos devedores a dívida integral, não sendo possível, por isso, que contra a vontade do credor, se traga ao processo o co-devedor. Depois, na responsabilidade civil não se aplica o princípio que torna obrigatória a denunciação da lide par assegurar-se o exercício da ação regressiva" (TAPR - 1ª Cciv. - Ap. Cv. 202/77, Rel. Juiz NUNES DO NASCIMENTO, in RT 504/231)

"DENUNCIAÇÃO DA LIDE - Colisão de veículos - Ação de indenização - Chamamento de preposto - Descabimento - Inteligência do art. 70, n. III, do Código de Processo Civil.

O art. 70, n III, do Código de Processo Civil não se aplica aos casos de responsabilidade civil de preponente por ato do preposto" (TJSP - 4ª Cciv. - Ap. Cv. 255.944, Rel Juiz Campo Gouvea, in TR 503/88)

Assim, deve ser rejeitada e afastada a denunciação à lide, formulada pelo ilustre patrono da requerida.


DO MÉRITO

Por brevidade e economia processual, desde já, ratifica-se as razões expostas na inicial.

Incontroversamente, como faz prova o boletim de acidente de fls., que goza de presunção "juris tantum" de retratar o ocorrido, infere-se que o veículo segurado da autora, transitiva normal e regularmente em sua mão de direção, quando foi atingido pelo caminhão de propriedade da requerida, cujo condutor além de não possuir habilitação e não dirigir com os cuidados indispensáveis à segurança do trânsito, não conservou o caminhão em sua mão de direção, invadindo a pista contrária, ocasionando o malsinado evento.

Ressalta-se que o fato (não impugnado, presumindo-se verdadeiro - art. 302 do CPC) do motorista do caminhão da requerida, não possuir habilitação, por si só basta para comprovar a responsabilidade e culpa desta pelo acidente.

Na verdade, a tese da defesa é embasada em único argumento: a responsabilidade pelo acidente é do estado, em razão das depressões e oscilações existentes na pista (sic).

Ora, se a requerida entendia que o Estado era responsável pelo processo, por qual razão o denunciou à lide?

Portanto, com o devido respeito, conclui-se que a defesa apresentada é meramente protelatória.

Por outro lado, aquele que atinge a outro veículo em acidente de trânsito deve responder pelo ato praticado, não podendo alegar fato de terceiro para excluir sua responsabilidade. Se o acidente se der em razão de conduta culposa de terceiro, resta a ação regressiva contra o causador do dano de seu procedimento (RT 678/122, RT 416/345, RT 437/127, RJTJSP 42/103 e RJTJSP 44/89)


DO REQUERIMENTO

DIANTE DO EXPOSTO, além do que será suprido pelo notório saber jurídico de Vossa Excelência, respeitosamente, requer-se:

A) seja decretada a revelia da requerida, quando senão rejeitada e afastada denunciação à lide apresentada;

B) caso o mérito venha a ser apreciado, seja julgado PROCEDENTE o pedido inicial, condenando a requerida nas cominações legais e processuais de estilo.


Nestes termos,

Pede deferimento.

...., .... de .... de ....

..................
Advogado OAB/...




Modelos relacionados
Confira outros modelos relacionados
Pedido de Julgamento Antecipado da Lide por Revelia
Exceção de Incompetência por Foro Diverso Eleito em Contrato
Exceção de Incompetência em Razão do Lugar da Sede da Empresa
Pedido de Suspensão de Execução pela Propositura de Ação Rescisória
Exceção de Incompetência - Acidente de Trânsito - Foro do Lugar do Fato
Pedido de Realização de Perícia por Autor com Assistência Judiciária Gratuita
Pedido de Realização de Perícia em Veículo Envolvido em Acidente
Incidente de Falsidade Documental
Impugnação ao Valor da Causa em Ação Declaratória
Exceção de Incompetência em Ação de Busca e Apreensão
Contestação em Exceção de Incompetência

Outros modelos
Modelos diversos de nosso repertório
Ação de Busca e Apreensão - Vencimento Antecipado das Parcelas
Agravo Retido em Ação Anulatória de Ato Jurídico
Embargos do Devedor por Excesso de Execução
Ação Declaratória de Falsidade de Escritura Pública de Cessão de Direitos
Contra-Razões de Recurso Ordinário e Razões de Recurso Adesivo
Declaração de Ausência
Ação de Restituição de Quotas de Consórcio
Memoriais em Indenização por Danos Morais Causados por Reportagem
Ação de Inventário por Arrolamento pelos Pais do De Cujus
Contestação à Ação de Alienação de Coisa Comum - Ação Desnecessária
Pedido de Citação pela Imprensa em Ação de Usucapião
Ação de Despejo para Uso Próprio
Pedido de Abertura de Inquérito Policial - Obtenção de Vantagem Indevida
Queixa-Crime por Infração à Lei de Impressa com Injúria e Difamação
Pedido de Curatela
Ação Indenizatória - Nome mantido no SPC e SERASA após a Quitação da Dívida
Pedido de Habeas Corpus - Arbitrariedade Policial e Violência Física
Pedido de Liberdade Provisória - Crime de Lesões Corporais
Contestação à Ação de Busca e Apreensão Convertida em Depósito
Pedido de Liberdade Provisória Vinculada com Fiança
Reclamatória Trabalhista - Empregada Doméstica
Abertura de Inventário pelo Rito de Arrolamento pela Viúva Meeira
Pedido de Liberdade Provisória - Nulidade da Prisão em Flagrante
Conteúdo Completo
Todo o acervo do site em seções
Modelos de petições
Modelos de contratos
Recursos de Multas
Textos doutrinários
Sentenças e acórdãos
Matérias publicadas
Expressões em latim
Dicionário jurídico
Jurisprudências
Súmulas


Central Jurídica
Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização