Moinho de trigo não consegue livrar-se de pagar insalubridade

Julgados - Direito do Trabalho - Segunda-feira, 26 de setembro de 2005

A defesa do M.T.A. Ltda., do Paraná, não conseguiu reverter no Tribunal Superior do Trabalho a condenação imposta pela segunda instância quanto ao pagamento de adicional de insalubridade pelo contato com a poeira vegetal derivada da farinha de trigo no processo de beneficiamento e empacotamento do produto. O recurso do moinho não reuniu condições processuais para que o mérito da condenação fosse analisado pela Quarta Turma do TST.

De acordo com o relator do recurso, juiz José Antonio Pancotti, os autos revelam que a empresa foi condenada a pagar adicional de insalubridade a uma ex-funcionária por dois motivos: exposição ao pó derivado da farinha de trigo e limpeza dos banheiros do moinho. Apesar de o TRT do Paraná (9ª Região) ter embasado a condenação em dois fundamentos distintos e independentes, a defesa do moinho impugnou apenas um deles no recurso ao TST.

A Súmula nº 23 do TST, de ordem processual, determina o não-conhecimento do recurso nessas circunstâncias. Com isso, não houve análise do TST sobre o direito ao adicional pelo contato com o pó de trigo. A matéria é nova. A jurisprudência do TST não registra precedente sobre o tema. No recurso, a defesa da empresa alegou que a poeira vegetal derivada da farinha de trigo não é considerada insalubre nos termos da Norma Regulamentar (NR) nº 15, Anexo 13, do Ministério do Trabalho.

O TRT/PR aplicou a condenação por analogia, tendo como referência os efeitos nocivos à saúde do trabalhador derivados do contato com outro pó de natureza vegetal, o pó do bagaço de cana. Laudo pericial realizado no moinho comprovou que a trabalhadora conviveu com pó de farinha de trigo, sem qualquer máscara protetora, em dois momentos: no empacotamento, onde havia pouca poeira, e na tarefa de limpeza das máquinas, quando aspirava o pó em grande quantidade.

Segundo a instância regional, mesmo em pequenas quantidades, a aspiração de pó vegetal é responsável por doença do sistema imunológico, produzindo hipersensibilidade imediata. ”É a doença do padeiro, já conhecida de Ramazini e divulgada em sua obra de 1700 ‘As doenças dos Trabalhadores’. Assim não é lógico concluir que porque não há na NR expressa menção ao pó de farinha de trigo, não haja insalubridade”, concluiu o TRT/PR. O médico italiano Bernardino Ramazini é considerado o pai da Medicina do Trabalho.

Matérias relacionadas

Empresa que instalou câmera em WC é condenada em danos morais

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou provimento a agravo apresentado pela empresa Peixoto Comércio, Indústria, Serviços e...

Justiça nega-se a obrigar mulher a fazer exame do vírus HIV

Uma secretária de Belo Horizonte teve negado seu pedido à Justiça para que obrigasse uma paciente da médica para a qual trabalha a fazer o exame...

Vítima de disparos de arma de fogo é indenizada pelo agressor

Um vigilante que recebeu, por motivo fútil, três tiros em sua perna, vai receber indenização do agressor, por danos morais e estéticos, além de...

Justiça nega indenização a empresário contra uma advogada

O juiz da 4ª Vara Cível de Belo Horizonte, Jaubert Carneiro Jaques, negou pedido de indenização por dano moral de um empresário contra uma...

Apart-hotel condenado a indenizar hóspede por furto em apartamento

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou um apart-hotel, da cidade de Viçosa, Zona da Mata, a indenizar uma engenheira...

Advogado bancário não tem jornada de advogado, nem de bancário

Para os juízes da 10ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), o advogado contratado para trabalhar 40 horas por semana para...

Falta de assinatura do advogado em agravo de instrumento é erro sanável

A falta de assinatura do advogado na petição de agravo de instrumento é irregularidade formal que pode ser sanada. A decisão é da Primeira Turma...

É legal a especialização de vara federal em crimes de lavagem de dinheiro

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que é legal a especialização de varas federais para processamento e julgamento de...

Não se pode condenar hospital por morte, sem prova da culpa dos médicos

Não é possível afastar, com base na prova dos autos, a culpa dos médicos pelo atendimento à criança, para responsabilizar tão-somente, com...

Falta de fundamentos no afastamento provoca retorno de prefeito ao cargo

Afastado do cargo de prefeito do município de São Francisco do Conde (BA) há pouco mais de um mês, Antônio Carlos Vasconcelos Calmon conseguiu...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade