Danos causados por árvore em veículo serão indenizados pelo Município

Julgados - Direito Civil - Terça-feira, 27 de setembro de 2005

A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul decidiu, por unanimidade, que o Município de Porto Alegre deve indenizar o proprietário de um carro Gol atingido por um galho de uma árvore na rua Polônia, em 27/2/01. Sofreram avarias o pára-brisa dianteiro, capô dianteiro, pára-lama dianteiro e a sinaleira dianteira direita do veículo. O proprietário do veículo pediu à Justiça o pagamento do conserto dos danos - R$ 1.083,65, conforme o menor dos orçamentos apresentados, acrescidos de correção e juros de mora.

A quadra do ocorrido tem nas calçadas árvores Tipas (Tipuana tipu) plantadas na década de 50, de grande porte. O proprietário é morador de Canoas, comarca onde o processo foi proposto junto à 3ª Vara Cível.

Afirma o Desembargador Umberto Guaspari Sudbrack que, “no caso, a sentença de 1º Grau, com base em um laudo apresentado por parte da SMAM, informando que as árvores estavam em bom estado fitossanitário e que recebiam poda periódica, julgou improcedente o pedido indenizatório”.

“Entretanto”, prossegue o magistrado, “o Município de Porto Alegre não esclarece, de modo efetivo, a periodicidade em que se processavam tais podas, bem como não se pode deixar de considerar que a SMAM é órgão da administração, cuja idoneidade para a confecção do laudo, face a isso, no mínimo, é questionável”.

Por outro lado, considera o Desembargador Sudbrack, “o fato de as árvores estarem ou não em bom estado de conservação não tem relevância, porquanto a responsabilidade pelos danos que eventualmente causam ipso facto, é presumida, fugindo o Município do dever de indenizar apenas se comprovar que o fato se deu em conseqüência de força maior, caso fortuito ou causa estranha que lhe não pode ser imputada”.

Afirmou, concluindo, que o Município não alegou, “por exemplo, que o fato ocorreu devido às condições climáticas ocorridas no dia” e não trouxe qualquer elemento que comprove que a queda do galho não tenha ocorrido por má conservação ou ausência de cuidado.

Acompanharam o voto do Relator, o Desembargador Leo Lima e a Desembargadora Ana Maria Nedel Scalzilli.

Matérias relacionadas

Rottweiller pode ser mantido em condomínio até decisão final

Uma cadela da raça Rottweiler poderá ser mantida na casa de seus proprietários, dentro do Condomínio Terra Ville – Belém Novo Golf Club, zona...

Mantida no TST decisão que aplicou nova jurisprudência sobre estabilidade

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a decisão regional que reconheceu o direito à estabilidade provisória no emprego a uma...

Azaléia é condenada por concessão irregular de férias

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a condenação imposta em segundo grau a Calçados Azaléia S/A por fracionamento irregular...

Demitidos por superfaturar diária garantem reintegração

A Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social (Dataprev) não obteve êxito em mais um recurso no Tribunal Superior do Trabalho contra...

Viúva de jogador ganha indenização por uso de imagem em álbum de figuras

A viúva e a nora do jogador de futebol Waldemar Rodrigues Martins, conhecido como Oreco, têm direito à indenização pela exploração da imagem...

STJ não admite recurso para advogado acusado de participar de aborto

O advogado e, à época dos fatos, juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) Mário Gil Rodrigues Neto não conseguiu levar ao...

Prazo recursal parte da data de circulação no diário na comarca do interior

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou tempestivo (dentro do prazo legal) um recurso apresentado pelo Banco Sudameris S/A em uma ação de...

Magistrado do Rio tem pedido de indenização por danos morais negado

A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou por unanimidade o recurso da Procuradoria do Estado do Rio de Janeiro contra sentença...

Confirmada indenização a moradora de edifício abalado por escavações

A Isdralit Indústria e Comércio Ltda. e Astir Participações e Empreendimentos Ltda. deverão indenizar proprietária de apartamento do Edifício...

Defeitos em casa pré-fabricada levam empresa a indenizar comprador

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma empresa especializada em venda e montagem de casas pré-fabricadas a...

Temas relacionados

Julgados

Direito Civil

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade