Bancos são obrigados a manter cadeiras de rodas para idosos no Rio

Julgados - Direito do Consumidor - Terça-feira, 11 de outubro de 2005

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro julgou, por unanimidade, improcedente a ação de argüição de inconstitucionalidade impetrada pela Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban) contra a Lei Estadual 3213, de 27 de maio de 1999, que determina a disponibilização de cadeiras de rodas para atendimento ao idoso nas agências bancárias do Estado do Rio de Janeiro e que veda ainda a formação de filas para maiores de 65 anos.

Para o relator do processo, desembargador Sylvio Capanema, a medida assegura conforto aos usuários e não gera nenhum impacto no mercado financeiro, conforme afirmou a Febraban, que alegou ainda ser a matéria de competência da União. Capanema afirmou que a ação proposta fere o princípio da razoabilidade e da proporcionalidade. “Ainda que as cadeiras de rodas fossem de metais preciosos, não prejudicariam a saúde financeira dessas instituições”, afirmou.

Em relação à existência de filas nas agências, o desembargador acredita que se deve ao fato de os bancos manterem caixas de atendimento fechados para aumentarem seus lucros, evitando a contratação de mais funcionários. Contrapondo a alegação da Febraban de que apenas os bancos são prejudicados com a legislação, o magistrado lembrou que outras áreas também sofrem com decisões judiciais que beneficiam usuários, como as empresas de transporte, que são obrigadas a transportar pessoas com direito à gratuidade.

“É um lamentável resquício do perverso tempo em que não se considerava o direito do consumidor”, disse Capanema, ressaltando que a dignidade da pessoa humana é uma garantia constitucional.

Matérias relacionadas

Condenada mulher que provocava abortos em Jaguaruna

Após 19 horas de julgamento, o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Jaguaruna condenou I.D.V., acusada de provocar abortos com o...

Empresa deve assinar carteira mesmo contra vontade do trabalhador

O registro do empregado é uma norma irrenunciável de ordem pública. Por isso, mesmo que o trabalhador peça que seu contrato não seja anotado na...

Atividade em condições especiais obedece à legislação em vigor à época

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) perdeu recurso em que questionava a contagem de tempo de serviço em atividade especial decorrente do...

Mantida liberdade a professor acusado atentado violento ao pudor com aluna

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou provimento ao recurso especial interposto pelo Ministério Público do Estado do Rio...

Incide IR sobre complementação de aposentadoria de previdência privada

Incide imposto de renda sobre as verbas recebidas a título de complementação de aposentadoria. Com esse entendimento, a Segunda Turma do Superior...

Empresário de São Paulo, devedor de alimentos, vai cumprir prisão em casa

Em decisão unânime, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça concedeu habeas-corpus ao empresário H. M., de São Paulo, para garantir-lhe...

Telefonistas recebem adicional de insalubridade por ruído

Quatro telefonistas receberão adicional de insalubridade decorrente de ruído excessivo no trabalho, com a decisão da Quinta Turma do Tribunal...

Limpeza de banheiros de escolas dá insalubridade

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a decisão regional que condenou uma escola de Porto Alegre (RS) a pagar adicional de...

Empresa é bem-sucedida em ação para limitar estabilidade sindical

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou pedido de seis motoristas e cobradores de ônibus que pretendiam assegurar o reconhecimento de...

TST padroniza posição sobre juros em precatório complementar

O Pleno do Tribunal Superior do Trabalho decidiu tornar expressa, em suas decisões, a exclusão de juros de mora em precatório complementar no...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Consumidor

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade