Pai que matou criança também responde por crime de Tóxicos

Julgados - Direito Penal - Quinta-feira, 20 de outubro de 2005

O juiz da 1ª Vara de Tóxicos, em Minas Gerais, José Osvaldo Corrêa Furtado de Mendonça, ouve amanhã o auxiliar de serviços gerais, Reginaldo José que foi preso em flagrante na última terça-feira depois de confessar ter matado a socos a própria filha de apenas quatro meses de idade.

O Auxiliar responde pelo crime de uso de entorpecentes, desde julho de 2002, quando foi preso na rua Araribá, nº 235 em companhia de outro usuário de droga. Eles portavam 3 unidades de maconha, com 1,33 gramas para consumo.

O outro denunciado foi condenado exatamente há um ano atrás, em 21 de outubro de 2004, depois de deixar de cumprir a transação penal proposta em 17 de março 2003. O auxiliar de serviços não foi julgado ainda. Ele estava em local incerto, não respondeu a citação por edital e nem constituiu advogado, o que provocou a suspensão da ação penal, em obediência ao artigo 366 do Código de Processo Penal.

O juiz Osvaldo Corrêa explicou que, caso o processo não estivesse suspenso, o réu já poderia ter sido julgado pelo crime de uso de entorpecentes e, se condenado, já estaria cumprindo a pena. Para garantir que o réu seja julgado desta vez, assim que tomou conhecimento da prisão em flagrante do acusado, o juiz José Osvaldo decretou sua prisão preventiva.

Ele será interrogado na sala de audiências da 1ª Vara de Tóxicos. A pena prevista para o crime de uso de entorpecentes varia de 6 meses a 2 anos de detenção.

Matérias relacionadas

´Gato` em medidor de energia leva ex-locatário a indenizar locador

A 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou um ex-locatário a ressarcir ao locador uma dívida junto à CEMIG –...

Turma Recursal garante fim de venda casada em Minas Gerais

A Quarta Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis de Belo Horizonte, em decisão inédita, garantiu a um consumidor a anulação do contrato de...

Família que recebeu diagnóstico errado de Aids será indenizada

O Município de Nova Friburgo terá de pagar uma indenização, por danos morais, de R$ 20 mil a um casal que recebeu um diagnóstico errado de Aids....

Justiça condena concessionária por não efetuar a transferência de veículo

A 17ª Vara Cível do Rio de Janeiro condenou a Simcauto – Mecânica e Representações, concessionária da Chevrolet, a pagar R$ 30 mil de...

Flagrante baseado em grampo telefônico é ilegal

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em decisão unânime, concedeu habeas corpus em favor do empreiteiro Jair Gregório...

´Caddie` não é empregado de clube de golfe

Para a 3ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, o caddie – carregador de tacos de golfe – que não sofre controle de horário...

Mantida indenização de empresa de transportes a vítima de acidente

Mantida a indenização por danos morais e estéticos que a empresa de transporte coletivo terá de pagar a passageiro ferido em acidente com um dos...

Auxiliar de farmácia não pode assumir responsabilidade técnica por drogaria

O auxiliar de farmácia não é habilitado para assumir a responsabilidade técnica por drogaria. O entendimento unânime é da Segunda Turma do...

Dano moral e patrimonial são cumuláveis, mesmo para fato anterior à CF/88

Três filhos de uma vítima morta em acidente de trânsito ocorrido em 1987 conseguiram reformar decisão de segunda instância da Justiça de São...

Prescrição para recusa de seguradora a pagar indenização é de um ano

Em caso de recusa de seguradora ao pagamento da indenização contratada, o prazo prescricional para entrar na Justiça contra a empresa é de um...

Temas relacionados

Julgados

Direito Penal

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade