Diciona

Empresário acusado de matar esposa será levado a Júri popular

Julgados - Direito Penal - Quarta-feira, 9 de Novembro de 2005

Será no salão do I Tribunal do Júri de Belo Horizonte, o julgamento do empresário acusado de matar a esposa em frente a um Shopping Center. A sessão será presidida pelo juiz do II Tribunal do Júri, Glauco Eduardo Soares Fernandes. Apesar de o processo tramitar no II Tribunal do Júri, o julgamento será no I, por causa de espaço.

Segundo o processo, no dia 12 de fevereiro de 2001, à tarde, na Avenida Olegário Maciel, em frente ao Shopping Diamond Mall, o empresário emparelhou seu carro junto com de sua ex-esposa e professora, Márlia Mesquita de Moraes, e deu vários tiros. O empresário fugiu do local.

A prisão preventiva foi decretada desde o início das investigações porque havia fortes indícios da autoria do crime e porque os filhos alegaram que estavam sendo ameaçados. Porém, em 12 de fevereiro de 2002, por motivo de doença, o empresário passou a cumprir a pena em prisão domiciliar. Em 03 de fevereiro de 2003, a prisão domiciliar foi revogada pelo juiz presidente do II Tribunal do Júri "por descumprimento das condições impostas e falta de comprovação de tratamento médico".

O empresário voltou para a prisão, mas, pouco tempo depois, conseguiu um Hábeas Corpus no TJMG e aguarda, desde então, o julgamento em liberdade.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato