Diciona

C&A condenada por acidente em escada rolante

Julgados - Dano Moral - Quarta-feira, 16 de Novembro de 2005

A 3ª Vara Cível do Rio de Janeiro condenou a C&A Modas a pagar R$ 35 mil de indenização por danos morais à estudante Amanda Carla da Silva Menezes de Martins Oliveira, de 18 anos. Ela sofreu um acidente na escada rolante da loja da rua Conde do Bonfim, na Tijuca, quando tinha apenas três anos de idade.

Em dezembro de 1990, acompanhada da mãe e da tia, Amanda prendeu sua mão esquerda na borracha do corrimão da escada, sendo puxada para dentro do compartimento da máquina. Foram cerca de quinze minutos de agonia, até que consumidores a socorreram prendendo-se à borracha do corrimão para que a mãe pudesse retirar a mão da menina de dentro do compartimento guia.

Amanda foi levada para um hospital pelo gerente da loja. Ela sofreu lesões e queimaduras e até hoje apresenta cicatrizes, tendo que se submeter a cirurgias plásticas. Amanda também alega sofrer abalo psicológico pelo trauma do acidente e complexo pelos danos estéticos que esse lhe causou. Além da indenização, a empresa terá que arcar com as despesas médicas.

A C&A alegou em sua defesa que a culpa foi da mãe da menina, por ter falhado na guarda da filha. A juíza Maria Cristina Gutiérrez Slaibi desconsiderou o argumento, por não ter a empresa apresentado provas nesse sentido. “Cabe ainda destacar a longa demora para a prestação de auxílio, inclusive, para a desativação do funcionamento da escada”, disse a juíza em sua sentença.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato