Homem perde os braços em acidente e recebe indenização da Supervia

Julgados - Direito Civil - Quinta-feira, 24 de novembro de 2005

A 38ª Vara Cível do Rio de Janeiro condenou a Supervia a indenizar Cristiano Costa da Silva, que perdeu os dois braços em um acidente, tendo que amputá-los acima dos cotovelos. Em setembro de 2001, ao embarcar no vagão, o trem começou a se locomover aos trancos sem nenhum aviso, fazendo com que ele fosse jogado para fora, ficando entre a plataforma e o trem.

Cristiano afirmou que nenhum funcionário da estação de Vigário Geral, onde aconteceu o acidente, tentou ajudá-lo. Ele foi socorrido pelos Bombeiros e levado ao Hospital Getúlio Vargas, onde ficou internado por um mês, sem que a empresa tomasse qualquer iniciativa para auxiliá-lo.

A empresa alegou em sua defesa que se houve o acidente, foi porque a vítima se expôs ao risco abrindo as portas do trem ou viajando junto a elas. Em sua sentença, a juíza Daniela Brandão Ferreira considerou que “qualquer que tenha sido a causa do acidente, a empresa não cuidou de prover a segurança do usuário. Se houve embarque e acomodação para viagem de forma inadequada, ou algum ato para a abertura das portas, a Supervia, ciente da possibilidade de tais situações, deveria providenciar meios para evitá-las”.

A concessionária irá pagar R$ 90 mil por danos estéticos, R$ 150 mil por danos morais, pensão vitalícia no valor de 100% do salário mínimo e todas as despesas médicas incluindo próteses, tratamento psicológico e acompanhante para o auxílio em atividades diárias como alimentação e higiene.

Matérias relacionadas

Passageiro que viajou em poltrona quebrada será indenizado

A empresa de aviação TAP Air Portugal foi condenada a pagar uma indenização de R$ 3 mil a um passageiro que foi obrigado a viajar do Brasil a...

Mulher projetada para fora de ônibus deve ser indenizada

Cliente de empresa de transporte coletivo que sofreu fratura no pé ao ser projetada para fora de ônibus há de ser indenizada. Configurada a...

Concessionária é condenada por negligência na revisão de automóvel

A Concessionária Fox Veículos Ltda. foi responsabilizada por negligência na revisão de automóvel. Ela não informou ao proprietário sobre...

Problema na coluna dá direito a indenização "vitalícia"

A empresa que deixa de cumprir regras básicas de segurança e medicina do trabalho, submetendo o empregado a atividades pesadas em posições...

Justiça do Trabalho proíbe hospital de contratar mão-de-obra por cooperativa

O juiz Roberto Vieira de Almeida Rezende, titular da 5ª Vara do Trabalho de Santos (SP), concedeu liminar em Ação Civil Pública ajuizada pelo...

Habeas-corpus não impede demissão de servidor

Cleyson Batista Freire não conseguiu reverter a condenação à perda do cargo na Polícia Judiciária de Minas Gerais e a cinco anos e quatro meses...

Proprietário e promissário comprador de imóvel podem figurar em cobrança

Uma vez transferido o imóvel, a ação de cobrança dos encargos a ele correspondentes pode ser proposta tanto contra o proprietário como contra o...

Piso salarial não pode ser vinculado ao salário mínimo

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu, por unanimidade, cancelar posicionamento da Justiça do Trabalho da 7ª Região (com...

Empresa que demite durante greve deve pagar rescisão no prazo

A empresa que demite funcionários durante uma greve não tem desculpas para não pagar a rescisão no prazo previsto em lei, alegando falta de...

Atividade de demonstrador de produtos permite controle de jornada

A atividade de demonstração de produtos em lojas, supermercados, shoppings, entre outros locais, não impede que haja o controle da jornada de quem...

Temas relacionados

Julgados

Direito Civil

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade