Servidor que adiar aposentadoria pode ficar isento do Imposto de Renda

Notícias - Direito Tributário - Sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Os servidores públicos efetivos que optarem por permanecer em atividade, após terem preenchido as condições para aposentadoria com proventos integrais, poderão ficar isentos de recolher Imposto de Renda. É o que estabelece o Projeto de Lei 5915/05, apresentado pelo deputado Gilberto Nascimento (PMDB-SP).

A proposta beneficia os servidores da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. O autor argumenta que a aposentadoria do servidor representa uma perda para a administração pública, e o custo da isenção seria amplamente compensado pela sua permanência na ativa.

"Ao se aposentar, o funcionário torna o cargo vago, e a administração púbica, caso pretenda preencher a vaga, terá necessidade de realizar concurso público. Enquanto o concurso não se realiza, os serviços públicos são realizados de forma deficiente, com prejuízo para a população", diz Nascimento.

O novo servidor, acrescenta, não terá o mesmo grau de experiência que o aposentado, o que muitas vezes exige a oferta de treinamento. "Por esse motivo, é grandemente vantajoso para o serviço público que o funcionário permaneça na ativa. A aposentadoria é desvantajosa para a administração pública até mesmo sob o ponto de vista financeiro, pois ela terá que suportar o pagamento dos proventos do funcionário que se aposentou e do novo funcionário."

O deputado conclui ser conveniente instituir atrativos que façam o servidor permanecer em atividade, mesmo após ter completado as condições para a aposentadoria integral.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Matérias relacionadas

Projeto restringe cenas de nudez na televisão

A Câmara analisa restrições à difusão de imagens de nudez na programação e nas inserções publicitárias na televisão. A proposta (Projeto...

Emenda Constitucional acaba com foro privilegiado para deputado e senador

A Proposta de Emenda à Constituição 470/05, do deputado Anselmo (PT-RO), acaba com o foro privilegiado para deputados e senadores, que atualmente...

Venda casada em licitação de informática pode acabar

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou a desvinculação das licitações públicas para compra de hardware...

Dívidas com INSS poderão ser parceladas

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou o parcelamento dos débitos das micro e pequenas empresas relativos às...

Tribunais poderão decidir sobre recesso forense

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou o texto final de sua Resolução nº 08, que autoriza os Tribunais de Justiça estaduais a suspender,...

OAB tenta evitar greve no Judiciário de Mato Grosso

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso, Francisco Faiad, se manifestou contrário a possibilidade de deflagração de greve no...

Texto que descriminaliza aborto pode ser votado

A Comissão de Seguridade Social e Família poderá votar amanhã o Projeto de Lei 1135/91, dos ex-deputados Eduardo Jorge e Sandra Starling,...

Proposta fixa tempo máximo de espera em agências bancárias

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6004/05, do deputado Nilson Mourão (PT-AC), que estabelece o tempo máximo para atendimento de clientes nas...

Empresas alimentícias poderão deduzir contribuição social

As empresas que fabricam alimentos poderão deduzir os valores das contribuições sociais para o PIS/Pasep e para a Cofins embutidos nos custos com...

Portadores de deficiência poderão ter bolsas de estudo

A Câmara analisa o Projeto de Lei 5937/05, da deputada Yeda Crusius (PSDB-RS), que permite às empresas concederem bolsas de estudos e...

Temas relacionados

Notícias

Direito Tributário

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade