Supermercado indeniza cliente acusado de furto de sabonetes

Julgados - Dano Moral - Sábado, 14 de janeiro de 2006

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Minas Gerais condenou um supermercado de Coronel Fabriciano a indenizar, por danos morais, um cliente que, em maio de 2004, sofreu falsa acusação de furto de cinco sabonetes, além de ter sido destratado pelos funcionários que o deixaram apenas com a roupa íntima perante os demais clientes.

O supermercado, uma das mais conceituadas empresas do país, que ocupa o 10º lugar no ranking nacional de hipermercados e congêneres, negou a acusação na tentativa de se esquivar de suas responsabilidades.
Mas, ao analisar os autos, os desembargadores Elpídio Donizetti (relator), Fábio Maia Viani e Francisco Kupidlowski, baseados em provas testemunhais, observaram que o cliente foi, sim, abordado indevidamente pelos funcionários.

Neste caso, segundo eles, a empresa é a responsável pela reparação civil decorrente da conduta de seus empregados, de acordo com o artigo 932, III do Código Civil. O relator considerou que “a falsa imputação de um crime perante o público gera no indivíduo acusado indevidamente sentimentos de humilhação, angústia e incômodo, que, por si só, configuram o dano moral.” Acrescentou ainda que, “o abalo suportado pelo consumidor é ainda mais grave, em virtude da forma ríspida e violenta com que foi abordado pelos funcionários do supermercado”.

Dessa forma, os desembargadores mantiveram a decisão da primeira instância e determinaram que o supermercado indenize o cliente, por danos morais, com a importância de R$ 5.000,00.

Matérias relacionadas

Plano de saúde é condenado a pagar tratamento de câncer

O juiz Renato Luiz Faraco, do Juizado Especial Cível, cancelou uma cláusula contratual do plano de saúde de uma professora e condenou, em caráter...

Procuração falsa faz tabelião indenizar compradores de lote

A 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou o tabelião de um cartório de Ofício de Notas de Contagem a indenizar os...

Montadora indeniza consumidores por defeito de fabricação em camioneta

O fabricante que coloca no mercado produto defeituoso, que sequer resiste ao tempo de garantia, é responsável pelos danos materiais e morais...

Choque emocional causado por recall não configura dano moral

"Não existe relevância jurídica a ponto de merecer qualquer indenização, uma vez ser descabida a tese de ter sofrido ‘choque emocional’. Na...

Portador de HIV consegue isenção para não pagar pensão alimentícia

Com base em voto do ministro Cesar Asfor Rocha, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça concedeu habeas-corpus preventivo a professor...

Reconhecimento de duas uniões estáveis ao mesmo tempo não é possível

Em decisão unânime, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que, mantendo o autor da herança união estável com uma...

TAM é condenada a indenizar filhos de vítima de acidente aéreo

A TAM Transportes Aéreos Regionais terá de indenizar, por danos materiais, duas crianças que perderam o pai em acidente aéreo ocorrido no campo...

Concessionária de energia elétrica não deve pagar por uso de espaço aéreo

É vedada a cobrança de valores quando da utilização dos bens de domínio público pelas concessionárias de serviço público de energia...

Negado habeas-corpus a advogado investigado por fraudes no INSS

O advogado R.P. de S., investigado por envolvimento com quadrilha que fraudava benefícios do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), teve negado...

Acordo exclusivamente prejudicial a trabalhadores não tem validade

O acordo coletivo que se caracteriza exclusivamente pela renúncia dos trabalhadores a seus direitos não pode ter validade reconhecida pela Justiça...

Temas relacionados

Julgados

Dano Moral

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade