Diciona

Demitidos por acesso a pornografia na Noruega são indenizados

Notícias - Direito Internacional - Quarta-feira, 4 de Maio de 2005

A Corte Suprema da Noruega recusou o recurso da Conoco Philips referente à demissão de dois de seus funcionários por visitarem sites pornográficos durante o expediente.

No início de 2002, dois funcionários da empresa norte-americana de energia foram despedidos após serem pegos visitando sites pornográficos no ambiente de trabalho. Ambos entraram na justiça e ganharam a causa contra a empresa.

A companhia recorreu da decisão argumentando que o acesso aos sites de pornografia violou a política da empresa.

A corte da Noruega negou o recurso e ainda decidiu que os ex-funcionários receberão, cada um, uma indenização de 40 mil dólares (cerca de 100 mil reais) da companhia.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato