Comprador de fazenda com área já desmatada deve fazer reflorestamento

Julgados - Direito Ambiental - Quinta-feira, 30 de junho de 2005

O comprador de imóvel com área já desmatada é obrigado a fazer o reflorestamento ou separar a parte destinada à reserva legal para regeneração natural.

A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça confirmou as decisões das instâncias inferiores determinando à Agropecuária Sacchelli Ltda que faça a reserva de área correspondente a 20% da extensão de suas propriedades, protegendo-a com cercas para impedir acesso de gado e garantir seu crescimento natural para reserva legal, sob pena de multa diária por descumprimento.

A empresa recorreu ao STJ sustentando haver contradição entre decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR) e decisão anteriormente proferida pelo próprio STJ e fazendo considerações sobre a obrigação de o dano ambiental ser reparado por quem não o provocou.

Quanto à divergência, o ministro João Otávio Noronha, relator do recurso, citou voto anterior de sua própria relatoria que afirma que a legislação não deixa dúvidas sobre a responsabilidade do proprietário sobre os danos praticados em seus domínios, independentemente de terem sido praticados pelo próprio ou por terceiros.

Como a reserva legal ambiental foi considerada pelo legislador como necessária ao uso sustentável dos recursos naturais, à conservação e reabilitação dos processos ecológicos, à conservação da biodiversidade e ao abrigo e proteção da fauna e flora nativas, o proprietário está obrigado a arborizá-la.

´Disso conclui-se que a aquisição da propriedade sem a delimitação da reserva legal não exime o adquirente da obrigação de recompor tal reserva`, afirma o ministro no voto citado.

O entendimento pela responsabilidade objetiva do proprietário do imóvel quanto aos danos ambientais verificados em sua propriedade, ainda mais quando a aquisição da propriedade tenha-se dado na vigência da legislação que impõe restrição a seu uso, seria o seguido atualmente pelo Tribunal, restando superada a divergência citada no recurso especial apontado pela agropecuária.

Matérias relacionadas

Militar retornado a serviço ativo assim deve ser tratado para todos os efeitos

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça indeferiu pedido da União para não garantir vantagem prevista no artigo 58 da Lei nº 8.237/1991 a...

Ministério Público não pode propor ação contra taxas de serviços públicos

O Ministério Público não possui legitimidade legal para propor ação civil pública a fim de impedir a cobrança de taxas por serviços...

Juiz que matou vigia de supermercado tem habeas-corpus negado

O juiz Pedro Pecy Barbosa de Araújo, acusado de ter matado o vigilante José Renato Coelho, no dia 27 de fevereiro, em Sobral (CE), após ter sido...

Determinado desbloqueio de conta penhorada em excesso

A Subseção Especializada em Dissídios Individuais 2 (SDI-2) referendou despacho do ministro Ives Gandra Martins Filho e determinou o desbloqueio...

Entes públicos estão isentos do pagamento de emolumentos

Os entes públicos estão isentos do pagamento de emolumentos, de acordo com resolução aprovada pelo Pleno do Tribunal Superior do...

Liberadas contas da Malásia com a manutenção do seguimento da execução

A Subseção 2 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-2) do Tribunal Superior do Trabalho concedeu parcialmente um mandado de segurança...

Justiça comum deve julgar dano moral por ofensa em processo trabalhista

Se os danos materiais e morais ocorreram durante discussão em processo trabalhista, e não se originaram da relação de emprego propriamente dita,...

Honorários contratados em valor fixo têm natureza alimentar

A verba honorária pertence ao advogado, ainda que organizado em torno de uma pessoa jurídica. É sua fonte de sustento e tem, em qualquer caso,...

Penhora sobre faturamento de empresa é cabível em algumas circunstâncias

É possível a penhora sobre o faturamento de empresa desde que presentes algumas circunstâncias. Com esse entendimento, a Corte Especial do...

Falha do empregador que não resultou em dano não gera indenização

A entrega das guias de seguro-desemprego pelo empregador na despedida sem justa causa é obrigatória, mas o empregado que não as recebeu não faz...

Temas relacionados

Julgados

Direito Ambiental

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade