Diciona

SUS pode ser obrigado a fazer cirurgia de simpatectomia

Notícias - Direito Médico - Segunda-feira, 4 de Julho de 2005

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 5276/05, de Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar a cirurgia de simpatectomia para correção da hiper-hidrose (distúrbio no sistema excretor).

A parlamentar explica que a pessoa que sofre de hiper-hidrose sua exageradamente nas extremidades, principalmente nas mãos, pés e axilas.

Esse suor excessivo pode ser tão intenso que prejudica as relações sociais, afetivas e até as atividades profissionais. Quem tem o problema procura escondê-lo, evitando contatos manuais com outras pessoas e usa artifícios para manter as mãos secas, deixando ao seu alcance toalhas, lenços de papel ou talco.

O SUS atualmente não cobre esse tipo de intervenção cirúrgica por considerá-lo tratamento estético.

De acordo com a parlamentar, a simpatectomia é realizada por meio de dois pequenos cortes onde são introduzidas a microcâmera e os instrumentos cirúrgicos. Os nervos responsáveis pelos estímulos que provocam o suor exagerado são cortados e cauterizados.

A dor e o desconforto são muito pequenos, e normalmente o paciente recebe alta algumas horas depois da operação. O índice de satisfação dos pacientes operados é elevado e as complicações são raras.

Para a deputada, assim como a cirurgia reparadora de mama tem sua abrangência garantida por melhorar o convívio social da mulher que se viu obrigada a realizar uma mastectomia, as pessoas que sofrem de hiper-hidrose poderiam, da mesma forma, sentirem-se mais confortáveis no convívio social, sem o constrangimento de ver as pessoas comentando sobre o seu suor excessivo.

O projeto está sendo analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato