Pais perdem o poder sobre o filho por falta de condições psicológicas

Julgados - Direito Civil - Quinta-feira, 21 de julho de 2005

Quando for evidenciada negligência e falta de condições psicológicas, e não apenas falta de recursos materiais, é viável a destituição do poder familiar sobre um menor. Este foi o entendimento da 7ª Câmara Cível do TJRS para negar provimento à apelação dos pais que queriam ter seu filho de volta.

O pai do menor afirmou que tem interesse em ficar com o filho, pois possui sustento próprio. Entende que para a criança a melhor alternativa é ficar com o genitor. Apesar de pobre, assegurou ter bom caráter, ser trabalhador, mas não delinqüente. Salientou também que eventuais falhas terão a ajuda de familiares. Já a mãe, disse que conseguiu melhorar de vida, desejando que o filho cresça junto de sua família, perto do irmão. Asseverou que a avó e o seu companheiro ajudarão no que for preciso.

O Ministério Público, autor da ação de 1º Grau que decidiu pela destituição do poder familiar sobre o menor, buscou a manutenção da sentença. Garantiu que toda a prova colhida no processo assegura juízo suficiente para tanto.

O Desembargador José Carlos Teixeira Giorgis, relator do recurso no Tribunal de Justiça, destacou que a pretensão dos recorrentes não pode ser atendida depois de uma análise dos autos, principalmente da prova técnica produzida, dos laudos sociais e psicológicos dos genitores, somados aos depoimentos colhidos.

´Todos os fatos narrados na peça, graves e que indicam séria negligência, como consumo exagerado de drogas e álcool, baixas condições de higiene, inclusive convívio com animais e desinteresse no menor foram confirmados ao longo da instrução`, afirmou.

O magistrado enfatizou que a mãe confessou o uso de substâncias entorpecentes, ser dependente do companheiro e perambular pela cidade embriagada com a criança. ´Salta aos olhos o descumprimento dos deveres inerentes ao poder familiar por parte da mãe`. Quanto ao pai, ressaltou que, segundo o laudo psicológico, fica evidente sua expectativa de ajuda dos familiares para proteger integralmente o filho. Manifestou que a falta de condições econômicas, por si só, não é motivo para a decisão. ´Os Conselheiros Tutelares, em seus depoimentos, foram unânimes ao dizer dos problemas de alcoolismo do apelante`.

Acompanharam o voto do relator a Desembargadora Maria Berenice Dias e a Juíza-Convocada Walda Maria Melo Pierrô. O acórdão consta da edição de nº 243 da Revista de Jurisprudência do Tribunal de Justiça.

Matérias relacionadas

Homem preso indevidamente deve ser indenizado pelo Estado

A 9ª Câmara Cível do TJRS condenou o Estado do Rio Grande do Sul a indenizar homem, preso indevidamente por agentes policiais. O julgamento...

Imobiliária que não urbanizou loteamento como previsto deve indenizar

Consumidor que adquiriu imóvel em loteamento e não teve as obras de urbanização do local realizadas, conforme contratadas, tem direito a...

Advogado particular do INSS pode atuar onde há agência

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu a prerrogativa de o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) valer-se de advogados...

Confirmada incidência de juros de mora em precatório

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho, em decisão unânime, reconheceu a incidência de juros de mora sobre o pagamento atrasado de...

Fiat não obtém liminar que suspenda processo pela morte de Chico Science

A Fiat Automóveis S/A não conseguiu, no Superior Tribunal de Justiça, a liminar que pediu para conceder efeito suspensivo ao recurso especial que...

Itinerário indevido gera cobrança a autor da ação

A 4ª Turma de Recursos de Criciúma, em Santa Catarina, confirmou na íntegra decisão do juiz Luiz Fernando Boller, titular do Juizado Especial...

Hospital terá que indenizar por ter dado como morta paciente que estava viva

A Prefeitura do Rio de Janeiro foi condenada, por unanimidade, pela 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça a pagar indenização de R$ 30 mil...

Garantida reintegração de empregado soropositivo

A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho confirmou, por unanimidade, o direito à reintegração no emprego a um portador do vírus HIV, ao...

Recurso de revista encaminhado por e-mail será examinado pelo TST

A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, conforme o voto do ministro Lélio Bentes Corrêa, garantiu o exame de um recurso de revista...

Afastada legitimidade de câmara municipal em ação trabalhista

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou (não conheceu) recurso da Câmara Municipal de Santos (SP) por considerá-la parte...

Temas relacionados

Julgados

Direito Civil

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade