OAB poderá listar advogados para população carente

Notícias - Advocacia - Terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Os Conselhos Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deverão organizar listagens de advogados interessados em prestar serviços à população carente, e enviá-las à Defensoria Pública e ao Tribunal de Justiça. É o que prevê o Projeto de Lei 6027/05, apresentado pela deputada Laura Carneiro (PFL-RJ), que altera o Estatuto da Advocacia (Lei 8906/94).

De acordo com o projeto, a prestação de serviço profissional assegura aos inscritos na OAB o direito aos honorários convencionados, aos fixados por arbitramento judicial e aos de sucumbência. O advogado, quando indicado para patrocinar causa de juridicamente necessitado, no caso de impossibilidade da Defensoria Pública no local da prestação de serviço, tem direito aos honorários fixados pelo juiz, segundo tabela organizada pelo Conselho Seccional da OAB, e pagos pelo Estado.

A deputada observa que nem sempre é ágil a nomeação, pelo juiz, de um advogado, seja pela ausência de nomes previamente indicados, seja pelo desinteresse dos profissionais em atuar em causa de alguém juridicamente necessitado. "Assim, será de grande valia, não somente para advogados, magistrados e para a Defensoria Pública, mas, principalmente, para a coletividade, a produção anual de uma relação de profissionais que tenham demonstrado, previamente, seu interesse em atuar como dativos, facilitando sua indicação, quando necessária", argumenta Laura Carneiro.

O projeto foi apensado ao PL 448/99, do deputado Ênio Bacci (PDT-RS), que altera os honorários para advogados que defendam necessitados pela assistência judiciária. Sujeita à apreciação conclusiva, a matéria está sob a análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, e tem como relator o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR).

Matérias relacionadas

Setor elétrico poderá ter desconto no Imposto de Renda

Empresas do setor elétrico que realizem novos empreendimentos poderão ter desconto de 20% no Imposto de Renda, calculado sobre o lucro da...

Empresas de transporte público podem ser isentas de tributos

Tramita na Câmara a Proposta de Emenda à Constituição 473/05, do deputado Bismark Maia (PSDB-CE), que isenta as empresas de transporte coletivo...

Consumidor poderá trocar produto defeituoso em até 90 dias

O Projeto de Lei 5998/05, do deputado César Medeiros (PT-MG), amplia de 30 para 90 dias o prazo para o consumidor exigir a substituição de produto...

Profissão de arqueólogo pode ser regulamentada

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6145/05, que regulamenta a profissão de arqueólogo. Apresentada pela deputada Laura Carneiro (PFL-RJ), a...

Estágio obrigatório em Medicina poderá ser remunerado

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6113/05, do deputado Lincoln Portela (PL-MG), que determina o pagamento de um salário mínimo aos estudantes de...

Normas para publicidade oficial pode ser alteradas

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6106/05, do deputado Josias Quintal (PMDB-RJ), que pretende restringir a aplicação de recursos em publicidade do...

Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional pode ser criado

Dois anos depois de criar o programa Fome Zero, o governo federal decidiu instituir um marco legal para as políticas de alimentação no País. A...

Prazo para preparo do recurso pode ser maior nos juizados especiais

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 5992/05, do deputado Nelson Bornier (PMDB-RJ), que estabelece prazo para o autor de um recurso nos juizados...

Atribuições das guardas municipais podem ter nova regulamentação

A Câmara analisa o Projeto de Lei 5959/05, que regulamenta as atribuições e competências das guardas municipais. A proposta, do deputado Chico...

Ação civil pública pode ter trâmite mais rápido

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6021/05, do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que busca aperfeiçoar a agilizar a tramitação da ação civil...

Temas relacionados

Notícias

Advocacia

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade