Aplicação financeira de servidor pode ser limitada

Notícias - Diversos - Segunda-feira, 9 de janeiro de 2006

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6114/05, do deputado Lincoln Portela (PL-MG), que limita a R$ 500 mil o valor para aplicação em fundos de investimentos por servidores públicos de carreira. "O objetivo é coibir os casos de corrupção que têm sido diariamente divulgados pela imprensa", justifica Portela. A medida teria efeitos preventivos, pois, em sua avaliação, só há desvios de recursos quando não há controle.

Os valores que superarem o teto serão destinados ao Fundo de Investimentos dos Depósitos Compulsórios de Servidores Públicos Federais, criado pelo projeto, que será administrado pelo Ministério da Fazenda, com rendimentos equivalentes aos da caderneta de poupança.

Pela legislação atual, não há impedimento nem limite para aplicações financeiras feitas por integrantes do serviço público, desde que as atualizações (ganhos e resgates) constem da declaração anual do Imposto de Renda.

Lincoln Portela considera que, ao estabelecer limite para as aplicações financeiras de servidores, os excessos serão automaticamente transferidos para a União e ficarão indisponíveis, sem possibilidade de usufruto dos recursos, o que reduziria a motivação para a corrupção.

O projeto tramita em caráter conclusivo nas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Matérias relacionadas

Isenção de IPI na compra de veículos pode ser ampliada

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6109/05, do deputado Renato Casagrande (PSB-ES), que isenta os motoristas profissionais do Imposto sobre Produtos...

Competência para multar em estradas pode ser apenas da PRF

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6132/05, do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), que retira do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER)...

Contas para recebimento de salários podem ser isentas de CPMF

Tramita na Câmara a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 476/05, do deputado Almir Moura (PFL-RJ), que acaba com a incidência da CPMF sobre a...

Trabalhador pode ter dois dias de folga para doar órgãos e tecidos

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6127/05, do deputado João Batista (PFL-SP), que permite aos empregados ausentar-se do serviço por até dois dias...

Acompanhante de paciente idoso e criança pode ser benefícios em hospitais

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6125/05, do deputado João Mendes de Jesus (PSB-RJ), que permite a permanência, nos hospitais públicos, de...

Seguro obrigatório pode ser criado para custear indenizações trabalhistas

A Câmara analisa o Projeto de Lei Complementar 301/05, do deputado Ricardo Barros (PP-PR), que cria um seguro obrigatório para custear as...

Discriminar portador de HIV poderá causar prisão

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6124/05, do Senado, que fixa pena de reclusão de um a quatro anos para quem discriminar o portador do vírus da...

Idade mínima para porte de armas pode ser reduzida de 25 para 21 anos

A Câmara analisa o Projeto de Lei 6123/05, do deputado Francisco Appio (PP-RS), que reduz, de 25 para 21 anos, a idade permitida para obtenção de...

Regras para Receita emitir certidão podem mudar

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 6121/05, do deputado Júlio Redecker (PSDB-RS), que amplia os casos e o prazo em que a Secretaria da Receita...

Advogado acusado de roubar celular pode ser cassado pela OAB

O presidente da Seccional de Pernambuco da Ordem dos Advogados do Brasil, Júlio Oliveira, afirmou que o advogado Luís Guilherme Passos Marinho vai...

Temas relacionados

Notícias

Diversos

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade