Paciente consegue fornecimento de medicação para tratamento de linfoma

Julgados - Direito Médico - Sábado, 14 de janeiro de 2006

O Ministério da Saúde terá de fornecer, segundo receituário médico, o medicamento Mabthera (ou Rituximab 500 mg) ou autorizar a sua retirada em posto de saúde, no prazo de dez dias, para tratamento de "linfoma folicular". Essa é a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, ao deferir o pedido liminar em mandado de segurança impetrado por T. M. M., paciente que não possui condições de comprar o remédio devido ao seu alto custo.

T. M. sustenta que o medicamento, indispensável para o seu tratamento, não é fornecido por clínicas e hospitais atendidos pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Por sua vez, ela alega não ter condições de adquiri-lo sem comprometer o sustento próprio e o de sua família.

Explica que foi negada, pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, a medicação pretendida, deixando-a desamparada e, devido ao seu frágil estado de saúde, sob risco de vida. Afirma, também, a paciente que possui direito líquido e certo ao reméido em face dos princípios constitucionais inerentes ao direito à vida, à saúde e à dignidade da pessoa humana (CF, artigo 196).

Assim, T. requer, em caráter liminar, que seja fornecido, no prazo irrevogável de 48h, por tempo indeterminado e de maneira ininterrupta, enquanto perdurar a necessidade, o medicamento denominado Rituximab (Mabthera), conforme receituário dado por médico, como única forma de garantir-lhe o direito à vida.

Em sua decisão, o ministro Vidigal ressaltou que a Constituição Federal contempla o princípio da dignidade da pessoa humana e assegura a todos o direito à saúde e à vida, o que deve ser garantido mediante políticas sociais e econômicas que tenham em vista a redução do risco de doença e o acesso universal e igualitário às ações e serviços capazes de promover, proteger e recuperar a saúde dos brasileiros.

A par disso, afirmou o presidente do STJ que, "de índole constitucional, o mandado de segurança, é medida eficaz na defesa desses direitos individuais e coletivos". Assim, decidiu deferir o pedido de T., para que lhe seja fornecido o medicamento necessário, ou lhe seja permitida a retirada em posto de saúde, segundo a receita médica.

Matérias relacionadas

Fiat deve indenizar por incêndio em automóvel

Proprietário de automóvel Fiat Tipo que incendiou por autocombustão do motor, com apenas sete meses de uso, deve ser indenizado por danos morais...

Seguradora não é obrigada a indenizar quando há omissão de informações

Omissão de roubo de carro a seguradora, dias antes de ser renovado o seguro, isenta a mesma de realizar qualquer indenização. Com esse...

Transexual que fez cirurgia de troca de sexo pode alterar Registro Civil

O Juiz Mário Romano Maggioni, da 2ª Vara Judicial de Capão da Canoa, no Rio Grande do Sul, deferiu pedido de retificação de nome e de sexo em...

União estável paralela ao casamento não é reconhecida

A Justiça consagra a monogamia e não tolera a manutenção simultânea de relações afetivas. Esse foi o entendimento, por maioria, da 7ª Câmara...

Supermercado indeniza cliente acusado de furto de sabonetes

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Minas Gerais condenou um supermercado de Coronel Fabriciano a indenizar, por danos morais, um cliente que, em...

Plano de saúde é condenado a pagar tratamento de câncer

O juiz Renato Luiz Faraco, do Juizado Especial Cível, cancelou uma cláusula contratual do plano de saúde de uma professora e condenou, em caráter...

Procuração falsa faz tabelião indenizar compradores de lote

A 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou o tabelião de um cartório de Ofício de Notas de Contagem a indenizar os...

Montadora indeniza consumidores por defeito de fabricação em camioneta

O fabricante que coloca no mercado produto defeituoso, que sequer resiste ao tempo de garantia, é responsável pelos danos materiais e morais...

Choque emocional causado por recall não configura dano moral

"Não existe relevância jurídica a ponto de merecer qualquer indenização, uma vez ser descabida a tese de ter sofrido ‘choque emocional’. Na...

Portador de HIV consegue isenção para não pagar pensão alimentícia

Com base em voto do ministro Cesar Asfor Rocha, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça concedeu habeas-corpus preventivo a professor...

Temas relacionados

Julgados

Direito Médico

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade