Fabricantes poderão ter de recolher medicamentos vencidos

Notícias - Direito Médico - Sábado, 11 de junho de 2005

As empresas farmacêuticas, laboratórios e fabricantes de remédios poderão ser obrigados a substituir os medicamentos existentes nas farmácias, cujo prazo de validade esteja vencido.

A medida está prevista no Projeto de Lei 5110/05, de autoria do deputado Carlos Nader (PL-RJ). Atualmente, as distribuidoras e fabricantes não se responsabilizam pelos medicamentos vencidos, ficando todo o ônus para as farmácias.

De acordo com o deputado, há um desequilíbrio na relação entre pequenos comerciantes que são donos de farmácias e os fabricantes de medicamentos.

Os donos de farmácia têm arcado com os altos custos da dispensa dos medicamentos vencidos. Os remédios não podem ser simplesmente jogados no lixo, o que seria um crime ambiental, e precisam ser processados por empresas especializadas. A intenção do projeto é criar um mecanismo de proteção contra o sistema de responsabilidades vigente.

Segundo o deputado, a situação dos donos de farmácia é ainda pior, porque incidem impostos sobre os medicamentos a serem dispensados. Nader relata que não é possível fazer nota de devolução dos remédios para as distribuidoras e para os fabricantes.

A única forma de dar baixa de um medicamento vencido do estoque é registrá-lo como venda a preço de custo, operação sobre a qual o imposto incide novamente, denunciou.

Pela proposta, laboratórios e fabricantes serão responsáveis pelo recolhimento e destinação final dos medicamentos vencidos. Caso não exista um responsável legal pelo medicamento, o distribuidor assumirá a função.


Farmácias, distribuidoras e fabricantes serão obrigados a manter registros sobre o prazo de validade dos medicamentos em estoque. Essas informações deverão ficar à disposição dos serviços de vigilância sanitária.

As empresas terão 30 dias para recolher os medicamentos, a contar de comunicado dos responsáveis técnicos das farmácias sobre o vencimento. Se aprovada a proposta, os infratores serão punidos pela legislação sanitária federal em vigor, atualmente regulada pela Lei 6437/77.

A lei prevê penalidades como advertência, multa, apreensão de produto e cancelamento de autorização para funcionamento da empresa.

O projeto está sendo analisado pela Comissão de Seguridade Social e Família, onde o deputado Antonio Joaquim (PTB-MA) foi designado relator, e tramita em caráter conclusivo, sendo posteriormente encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Matérias relacionadas

Projeto exige cone de sinalização em veículos de carga

Os veículos de carga terão que portar cones reflexivos para sinalizar as vias quando houver queda de materiais que estejam transportando.

A...

SPC poderá ter prazo para excluir quem quitar débito

A Câmara vai analisar o Projeto de Lei 5271/05, que obriga os serviços de proteção ao crédito a retirarem de seus bancos de dados, no prazo de...

Projeto isenta eventos beneficentes de direitos autorais

A encenação de peças teatrais e a execução musical, quando realizadas com propósito beneficente por entidade sem fins lucrativos, serão...

Violência e sexo na TV podem ser proibidos antes das 21h

Desenhos e outros programas de TV exibidos até as 21 horas poderão ser proibidos de conter cenas que mostrem armas de fogo ou se refiram a elas e...

Projeto torna crime a exportação clandestina de água

Está em análise na Câmara o Projeto de Lei 5104/05, que torna crime a prática de hidropirataria, definida como a captação de água não...

Presença de advogado pode ser exigida em juizado especial

A assistência de um advogado será obrigatória nas causas propostas perante os Juizados Especiais Cíveis federais, estaduais e do Distrito...

Saúde poderá ter regra própria de responsabilidade fiscal

A Câmara analisa o Projeto de Lei Complementar 251/05, do deputado Roberto Gouveia (PT-SP), que permite que a União, os estados e o Distrito...

Retenção de IR pode ser limitada a 10% do salário

A fonte pagadora não poderá reter mais do que 10% do salário do contribuinte para pagamento do Imposto de Renda (IR), caso seja aprovado o Projeto...

TST e Receita firmam convênio para facilitar execução trabalhista

O Tribunal Superior do Trabalho e a Secretaria da Receita Federal assinarão no próximo dia 14, às 15h, na sede do TST, um convênio de...

João Kléber lidera baixaria na TV pela quarta vez

Os programas Eu Vi na TV e Tarde Quente, comandados pelo apresentador João Kléber na Rede TV!, conquistaram pela quarta vez a liderança no ranking...

Temas relacionados

Notícias

Direito Médico

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade