Telemar prefere pagar indenizações a mudar seu sistema

Julgados - Direito do Consumidor - Segunda-feira, 3 de outubro de 2005

A juíza da 3ª Vara Cível do Rio, Maria Cristina Gutiérrez, condenou a Telemar Norte Leste S/A a indenizar em R$ 5 mil a consumidora Gilsiane Melo de Oliveira por ter lançado o seu nome indevidamente no rol de inadimplentes. Ela teve o seu nome inserido nos cadastros do SERASA/SPC sob o argumento de débito, sem jamais ter firmado qualquer contrato com a Telemar.

Na sentença, a Drª Maria Cristina Gutiérrez afirma que a Telemar distribui linhas telefônicas mediante o fornecimento ao seu “call center” de nome, número de CPF e endereço de instalação, sem averiguação sobre a veracidade dos dados ou conferência dos dados no momento da instalação do aparelho.

A juíza entendeu que o fato da Telemar não modificar o seu sistema – mesmo já tendo sido vítima de milhares de golpes e sabendo que o dano moral decorre da simples negativação indevida do nome do consumidor – mostra que este sistema lhe dá um lucro muito maior do que as indenizações a que eventualmente é condenada a pagar.

Matérias relacionadas

Hotel é condenado a pagar indenização a casal em lua-de-mel

A juíza substituta da 4ª Vara Cível do Rio, Renata de Lima Machado Amaral, condenou o Caesar Park Hotel a pagar indenização de R$ 6 mil a um...

Apresentador de TV que paga imposto como empresa não é empregado

Para a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, o apresentador de televisão que firma contrato de prestação de serviço como...

Banco tem responsabilidade objetiva por roubo de jóias empenhadas

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão de segunda instância que considerou a Caixa Econômica Federal (CEF)...

Empresa paranaense condenada em R$ 150 mil por pirataria de software

A Alimentos Zaeli Ltda. terá de pagar R$ 151 mil, corrigidos a partir de julho de 2003, à Microsoft Corporation em razão do uso de programas de...

Administração não pode usar legislação posterior para reformar contrato

Se é verdade que o Poder Público tem o direito de modificar seus contratos administrativos, não é razoável, no entanto, que se permita à...

Código de Defesa do Consumidor se aplica ao extravio de bagagem

O extravio de mercadoria em transporte aéreo internacional causado pela negligência da empresa transportadora deve gerar indenização pelo valor...

Desfeita penhora sobre caminhão hipotecado em cédula de crédito

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho liberou da penhora um caminhão basculante hipotecado em cédula de crédito no valor de R$...

Mantido exercício de dois empregos públicos a médicos

O desdobramento, em dois contratos, da carga horária relativa ao cargo já exercido por um médico não configura a existência de dois vínculos de...

Banco impedido de repassar a empregado prejuízo por inadimplência

A Caixa Econômica Federal não conseguiu modificar no Tribunal Superior do Trabalho a decisão regional que impediu a instituição de efetuar...

Negada liminar para proibição da música ´E por que não?`

O Juiz de Direito José Antônio Daltoé Cezar, da 2ª Vara da Infância e da Juventude da Capital do Rio Grande do Sul, indeferiu pedido liminar de...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Consumidor

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade