Queda de avião garante indenização à família de passageiro morto

Julgados - Dano Moral - Terça-feira, 29 de novembro de 2005

O juiz da 29ª Vara Cível da comarca de Belo Horizonte, Luiz Carlos Gomes da Mata, condenou, solidariamente, três empresas, sendo uma responsável pela operação, a outra responsável pela manutenção e venda da aeronave e, a última, proprietária do avião, a indenizar, em R$ 20mil, por danos morais, a família de um dos passageiros mortos em queda de avião.

Segundo o processo, no dia 11 de junho de 2003, uma aeronave Embraer Navajo, de prefixo PT-EHH, caiu nas imediações do aeroporto da Pampulha matando quatro pessoas, sendo dois tripulantes e dois passageiros. Após a queda o avião ainda pegou fogo. A família de um dos passageiros ajuizou ação de indenização por danos morais e materiais.

Em sua defesa as empresas alegaram que não possuem responsabilidade pelo ocorrido, que são partes ilegítimas da ação, que a indenização só seria possível em caso de dolo ou culpa, que não há dano material para a família e esperavam que o pedido fosse julgado improcedente.

Mas o juiz, em sua sentença, julgou parcialmente procedente o pedido e entendeu que "o dano moral gerado pelo acidente não há como negar que ocorreu, haja vista que do acidente resultaram inúmeros danos, inclusive o falecimento do genitor dos requerentes, devendo ser, por isso mesmo, indenizados".

Já o pedido de dano material foi indeferido pelo magistrado "por não ser possível concluir que é devida a indenização material em razão do sinistro". As custas processuais e os honorários advocatícios serão divididos em 70% para a empresa e 30% para a família.

Matérias relacionadas

Furto e ameaças geram indenização por danos morais

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou um menor e sua mãe (em caráter solidário) a indenizarem um professor aposentado, por danos morais...

Banco indeniza cliente por devolver cheque com fundos

Uma instituição bancária terá que indenizar um cliente, por danos morais, no valor de R$3.000,00. Isso porque a instituição devolveu um cheque...

Acordo obriga Volks a pagar insalubridade a empregado afastado

Para a 7ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), o acordo coletivo que assegura igualdade de tratamento entre empregados...

Torcedor não pode reclamar resultado de jogo de futebol na Justiça comum

A lei não concede ao torcedor o direito de buscar em juízo a impugnação do resultado de uma partida de futebol. O entendimento é da Juíza Maria...

OAB-PA obtém vitória contra horário de atendimento a advogado

O presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Pará, Ophir Cavalcante Junior, encaminhou ofício ao presidente nacional da OAB,...

Ministério deve contratar candidato que perdeu vaga por erro em telegrama

A Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), à unanimidade, deferiu pedido de Diogo Rodrigues Vieira para que o Ministério da...

Tutela antecipada não se mantém após sentença de mérito

Não cabe reclamação contra sentença que, analisando o mérito, diverge de decisão anterior do Superior Tribunal de Justiça (STJ) dada em...

Explosão de carga de veículo estacionado é indenizável pelo DPVAT

A esposa de um motorista de caminhão, morto após a explosão da carga do veículo quando este se encontrava estacionado em um posto de...

Novo CC não se aplica a contratos bancários quanto aos juros remuneratórios

Os juros remuneratórios praticados nos contratos de mútuo dos agentes financeiros do Sistema Financeiro Nacional não estão sujeitos à...

Justiça do Trabalho julga incorporação de horas extras após aposentadoria

Incorporação de horas extras habituais, eventualmente reconhecida, aos proventos de aposentaria constitui simples conformação destes com os...

Temas relacionados

Julgados

Dano Moral

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade