Apropriação indevida de R$ 84,25 gera demissão por justa causa

Julgados - Direito do Trabalho - Quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

A apropriação, para uso particular, de dinheiro confiado pelo empregador para o pagamento de tributos, levou a empresa Disppan Distribuidora de Produtos para Panificação Ltda., de Manaus (AM), a conseguir, no Tribunal Superior do Trabalho, o reconhecimento de motivo ensejador para a demissão por justa causa de um ex-motorista. A Quinta Turma, que julgou o recurso de revista da Disppan, considerou caracterizado o “ato de improbidade” previsto no art. 482, “a”, da CLT, isentando a empresa do pagamento de verbas rescisórias cabíveis nos casos de demissão imotivada.

O ex-motorista foi demitido depois de ter usado para fins particulares a quantia de R$ 84,25. De acordo com a defesa da Disppan, uma funcionária da empresa entregou-lhe R$ 86,00 para o pagamento de ICMS de um frete para Boa Vista, mas foram recolhidos apenas R$ 1,75, e a guia entregue ao motorista que faria a viagem. Por conta disso, o caminhão foi parado numa barreira da Secretaria da Fazenda, atrasando a entrega das mercadorias e causando prejuízo à empresa.

Na versão do empregado, o valor de R$ 1,75 foi informado pelo Banco, e, depois de consultar o setor financeiro da empresa, ficou com o restante a título de adiantamento salarial, como já havia feito outras vezes. Não conseguiu, porém, provar o fato de ter recebido a autorização, já que não havia recibo assinado, nem as testemunhas ouvidas puderam confirmar sua versão.

Um ano depois da demissão, o ex-motorista ajuizou reclamação trabalhista na Vara do Trabalho de Manaus questionando a justa causa e pedindo o pagamento das verbas rescisórias. A Vara, no entanto, julgou o pedido improcedente por considerar que o fato “representa indiscutivelmente quebra da confiança essencial que deve existir entre empregador e empregado, para permitir a manutenção do contrato de trabalho”. Sobre a alegação de que o valor apropriado indevidamente seria desproporcional à severidade da pena aplicada, o juiz observou que “o ato delituoso não é classificado pelo valor do bem objeto do crime, mas sim pela atitude do agente.”

No julgamento de recurso ordinário contra essa decisão, movido pelo ex-motorista, o Tribunal Regional do Trabalho do Amazonas (11ª Região) modificou a sentença e descaracterizou a justa causa por entender que, embora o fato principal – a apropriação – tenha sido reconhecido pelo ex-empregado, a alegação de que houve autorização para que o valor fosse convertido em adiantamento salarial não ficou claramente provada. “Essa indagação não foi suficientemente instruída com a prova principal e indispensável, que seria o depoimento da funcionária do setor financeiro que, segundo a versão do empregado, autorizou o adiantamento e que em seguida iria providenciar o recibo correspondente”. Na dúvida, a justa causa foi convertida em demissão imotivada, levando a empresa a recorrer ao TST.

O relator do recurso de revista, ministro Aloysio Corrêa da Veiga, observou que a própria decisão do TRT “permite concluir que o empregado praticou ato de improbidade justificador da rescisão do contrato de trabalho”. Em seu voto, o relator afirma que “a probidade está ligada a um conceito moral que envolve a honestidade, a boa-fé que se espera do empregado no exercício de suas atividades” e que, embora haja dúvida quanto à existência da autorização, “remanesce a certeza de que houve a apropriação indébita de numerário pertencente à empresa, cuja destinação era outra (pagamento de tributo) que não um adiantamento salarial”.

No entendimento do ministro Aloysio Veiga e seguido pelos demais integrantes da Quinta Turma, “qualquer outro raciocínio implicaria a inversão do ônus da prova, atribuindo à empresa a obrigação de comprovar fato negativo (inexistência da autorização relatada pelo empregado). Com isso, a Turma deu provimento ao recurso da Disppan e a absolveu do pagamento das verbas rescisórias, restabelecendo a sentença da Vara do Trabalho.

Matérias relacionadas

Revista de empregado em frente a estranhos ocasiona dano moral

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho confirmou, em decisão unânime, a prerrogativa da Justiça do Trabalho para o julgamento de ação...

Denúncia contra juiz que suspendeu audiência para almoço é rejeitada

O Tribunal Superior do Trabalho rejeitou pedido da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pará para apuração de denúncia de conduta...

Anulado veto discriminatório para pagamento de seguro

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma seguradora a pagar à filha da proprietária de uma casa de...

Intimação irregular sobre juntada de documentos gera anulação de Júri

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul anulou o julgamento do psicólogo Rogério Ivo Stoffel pelo Tribunal do Júri,...

Materiais fornecidos pelo prestador de serviço não estão sujeitos a ISS

Em obras hidráulicas e semelhantes, bem como na conservação e reparação de edifícios, estradas e pontes, em hipótese alguma o material...

Pedreiro com 23 Kg de maconha alega que droga era para consumo próprio

O juiz substituto Fabiano da Silva, lotado na 2ª Vara da Comarca de Caçador, em Santa Catarina, condenou o pedreiro Claudiomiro Fogaça Antunes a...

Reconhecer erro não elimina dano moral

O reconhecimento da irregularidade praticada e a reintegração do empregado – demitido injustamente – não afastam o dano moral causado por ato...

Violência doméstica contra a mulher pode ser combatida com mais rigor

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) analisa, entre outras propostas, o Projeto de Lei 4559/04, do Poder Executivo, que cria...

Armazenamento de combustível em prédio gera periculosidade

Os empregados que atuam em edifício onde a empresa armazena inflamável têm direito ao pagamento do adicional de periculosidade, previsto na...

Portador do vírus HIV dispensado sem justa causa será reintegrado

A jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho tem-se firmado no sentido de ser presumivelmente discriminatória a atitude da empresa que, ciente...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade