Candidata aprovada em concurso ganha na Justiça direito de ser convocada

Julgados - Direito Administrativo - Sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

A empresa Furnas Centrais Elétricas S/A será obrigada a convocar a candidata Patrícia Melo e Souza, aprovada em 18º lugar para a vaga de assessor de comunicação no seu último concurso, realizado em 2002. Mesmo após ter publicado o edital com a classificação dos candidatos, a empresa continuou contratando pessoal não-concursado, inclusive duas pessoas que ficaram em posições inferiores à de Patrícia.

A decisão foi conseguida através de mandado de segurança ajuizado na 21ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Em sua defesa, Furnas afirmou que até o momento convocou os seis primeiros classificados e que a prova destinou-se somente à formação de cadastro de reserva, possuindo os candidatos apenas mera expectativa da contratação.

“O que se nota é que a empresa continua desrespeitando a norma constitucional que exige concurso público, mantendo contratação de empregados através de terceirização. Furnas tem por característica a conduta aqui combatida, demonstrando, inclusive, desrespeito às decisões judiciais, já que, apesar de sempre condenada, mantém a mesma postura”, escreveu em sua sentença a juíza Ana Lúcia Vieira do Carmo Diniz.

Matérias relacionadas

Doméstica desempregada tem direito a salário-maternidade

Para a 6ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), a empregada doméstica demitida mantém, pelo prazo de 12 meses, o direito...

Credor pode desistir de execução sem que devedor concorde

Ao credor é facultado desistir da execução independentemente da anuência do devedor. O entendimento adveio da Quarta Turma do Superior Tribunal...

Autônomo deve cobrar empresa na Justiça comum, em seu domicílio

Salvo melhor juízo, a natureza da competência fixada no artigo 39 da Lei nº 4.886, de 1965, é absoluta. Assim, a Segunda Seção do Superior...

Empresário preso preventivamente tem liberdade após 21 anos do crime

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, concedeu liminar a Adriano de Freitas Neto. A decisão coloca Freitas em...

Permanecerá preso delegado acusado de assassinar empresária

Negada liminar ao ex-delegado Edgar Fróes, preso pelo assassinato da empresária Marluce Alves e do filho dela, Rodolfo Alves Lopes. O presidente do...

Aborto de feto com hidranencefalia é autorizado pelo STJ

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, concedeu nessa sexta-feira (23) liminar em habeas-corpus para que os...

Nome incorreto de médico em lista telefônica gera indenização

O prazo para consumidores entrarem na Justiça contra empresa para pedir indenização por falha na prestação do serviço é de cinco anos. A...

Não há dano moral em matéria sobre juiz acusado de prostituição

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu não conhecer do recurso de um juiz de direito da cidade de Porto Calvo/AL que entrou...

Recurso fora do prazo permite liberdade a acusado de matar a namorada

O adolescente L.S.S., acusado de assassinar a namorada G.C.F. ao descobrir que ela estava grávida, conseguiu anular a sentença do Tribunal de...

Seguradora também responde por por explosão de botijão de gás

Em se tratando de relação de consumo, protegida pelo Código de Defesa do Consumidor, o fabricante, construtor, empreendedor ou outros não podem...

Temas relacionados

Julgados

Direito Administrativo

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade