Ação penal contra trabalhador não suspende causa trabalhista

Notícias - Direito Processual Trabalhista - Quarta-feira, 31 de agosto de 2005

A existência de ação penal (Justiça Comum) contra o trabalhador não implica na suspensão do processo trabalhista até que a culpabilidade do empregado seja comprovada ou não no juízo criminal. O entendimento foi firmado pela Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao negar recurso de revista à Kepler Weber Industrial S/A.

A empresa queria sustar o trâmite da causa trabalhista movida por um ex-empregado, demitido por justa causa (alegação de improbidade). No âmbito regional, a justa causa foi afastada e deferida indenização por danos morais ao trabalhador.

Conforme voto do ministro Simpliciano Fernandes, a empresa gaúcha também não obteve êxito em seu pedido de suspensão do processo trabalhista no TST. O relator da questão frisou que “não há correlação entre a falta trabalhista e possível falta na esfera penal a justificar a suspensão da ação trabalhista até trânsito em julgado da ação penal (decisão definitiva), bem como não há no ordenamento jurídico comando legal que imponha a suspensão do processo”.

A empresa questionava decisão tomada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (com jurisdição no Rio Grande do Sul), que manteve sentença da Vara do Trabalho de Cruz Alta. As duas instâncias cancelaram, por falta de provas, a justa causa imposta pela Kepler a um ex-gerente de divisão de veículos. O trabalhador foi demitido sob a alegação de prática deliberada de negócios e operações em prejuízo da empregadora, acusação não provada que lhe garantiu reparação por danos morais.

No TST, a empresa apontou a existência de ação penal contra o trabalhador, proposta pela própria indústria (notícia-crime) à Justiça Comum de Panambi (RS). Diante do fato, alegou o desrespeito da Justiça do Trabalho gaúcha ao artigo 64, § único, do Código de Processo Penal (CPP), que possibilita a suspensão da tramitação simultânea de determinada causa simultânea ao processo criminal até o desfecho da questão no juízo penal.

Simpliciano Fernandes esclareceu, contudo, que “o referido dispositivo do CPP trata da ação civil e não da ação trabalhista, que possui pressupostos específicos e diversos da ação civil, não sendo pertinente a alegação de violação, pois a regra legal não impõe a obrigatoriedade da suspensão, apenas a possibilita”.

A decisão do TST também resultou na manutenção da condenação patronal por danos morais. Além de confirmar a competência da Justiça do Trabalho para o exame dessa modalidade de ação, o relator observou que a decisão regional constatou a ofensa à honra do ex-gerente. O prejuízo foi causado pelas acusações não comprovadas e pela própria sindicância movida pela empresa, que não observou o direito ao contraditório do trabalhador, que teve uma de suas gavetas arrombadas por um diretor da empresa que se apropriou de extratos bancários encontrados.

A indenização por danos morais ao trabalhador foi fixada, de acordo com a decisão do TRT gaúcho, em 20 vezes o salário que recebia no exercício da função de gerente da divisão de veículos da empresa.

Matérias relacionadas

Professora prejudicada em promoção da Globo será indenizada

A 4ª Turma de Recursos de Criciúma, em Santa Catarina, confirmou na íntegra decisão do juiz Luiz Fernando Boller, titular do Juizado Especial...

Governo propõe criação do cadastro positivo de consumidores

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, no Palácio do Planalto, mensagem para o envio ao Congresso Nacional de dois projetos de lei - um...

Função de magistério pode ter definição

A Comissão de Educação e Cultura aprovou o Projeto de Lei 4671/04, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional para especificar...

Exame oftalmológico pode ser obrigatório pelo SUS

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou substitutivo do relator, deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), ao Projeto de Lei 3354/04, que obriga...

Licitação de remédio pode exigir certificado

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou o Projeto de Lei 3536/04, do deputado Walter Feldman (PSDB-SP), que exige dos participantes de...

Santos Dumont pode ter título de Herói da Pátria

A Comissão de Educação e Cultura aprovou ontem a inclusão do nome de Alberto Santos Dumont no Livro dos Heróis da Pátria. A proposta consta do...

Novas doenças podem ser incluídas entre as causas de invalidez

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aprovou um texto substitutivo ao Projeto de Lei 2784/03, do deputado Antonio Carlos...

Estabelecimentos financeiros podem ter novas regras de segurança

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 167/99, do ex-deputado Jaques Wagner, que modifica as normas de...

Profissão de geofísico pode ser regulamentada

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4796/05, da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que...

Criada subcomissão para intermediar conflitos trabalhistas

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público vai criar uma subcomissão permanente para intermediar conflitos de natureza trabalhista...

Temas relacionados

Notícias

Direito Processual Trabalhista

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade