Negada suspensão de aumento de tarifa de energia em Minas Gerais

Julgados - Direito do Consumidor - Quinta-feira, 6 de outubro de 2005

A Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou o pedido de liminar em ação movida pelo Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Minas Gerais que procurava assegurar a não-aplicação de reajuste de tarifa de energia elétrica estabelecido pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Os desembargadores não concederam a liminar, por considerarem que, se no decorrer da ação o reajuste vier a ser julgado ilegal, o consumidor não será prejudicado, pois há como a empresa restituir os valores.

Na ação, o Movimento das Donas de Casa sustenta que o aumento de 23,88% na tarifa de energia elétrica, valido desde 08/04/05, foi abusivo, já que teria sido superior à inflação constatada. Segundo o Movimento das Donas de Casa, no período de referência, de acordo com o IPCA/IBGE, o índice inflacionário foi de 7,54%.

Os desembargadores consideraram que não foram preenchidos os requisitos legais para a concessão da liminar. Para eles, em uma primeira análise, o aumento não parece abusivo, pois foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a revisão das tarifas feita pela Cemig pode incorporar outros componentes que também influenciam o custo do serviço, além da inflação. Segundo o relator do processo, desembargador Moreira Diniz, se posteriormente o reajuste for considerado abusivo, a empresa pode devolver os valores através, por exemplo, de deduções em futuras cobranças das tarifas.

Matérias relacionadas

Loja está proibida de vender baralhos que simula marca conhecida

Uma loja de brinquedos e armarinhos está proibida de comercializar o baralho de marca "Royal" que não tenham sido fabricados pela empresa detentora...

Editora de lista telefônica condenada por violar direito autoral

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma editora responsável pela publicação de lista telefônica de endereços...

Utilização de gravação de voz sem autorização gera indenização

A 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma operadora de TV a cabo a indenizar um assistente de vendas, por ter usado...

Atraso de salário dá direito a indenização por danos materiais

O empregador que atrasa com freqüência o pagamento dos salários do empregado, deve indenizá-lo por seus prejuízos materiais e morais. Com base...

Zezé di Camargo é condenado em danos morais por plagiar parte de música

A 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou Mirosmar José de Campos, mais conhecido como...

Negado habeas-corpus a médico que exercia ilegalmente a medicina

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o habeas-corpus que pedia o trancamento da ação penal, por ausência de justa causa,...

Isenção de entidades filantrópicas não abrange ICMS de energia e telefone

A imunidade tributária assegurada na Constituição Federal às entidades filantrópicas e sem fins lucrativos não alcança o método de formação...

Nulo processo para cancelar venda de bem se não citar ex-marido

Se o ex-cônjuge figurou no pré-contrato e na escritura como vendedor, a sua não-participação na ação judicial na qual se busca anular compra e...

Acusado de furto ao Banco Central em Fortaleza continuará preso

Um dos presos acusados pelo furto à sede do Banco Central em Fortaleza (CE), José Charles Machado de Morais, teve pedido de liberdade negado pelo...

Pagamento bancário de condomínio não comprova parcelas anteriores

Compete ao condômino comprovar o pagamento da parcela tida como não paga, até porque a sistemática de cobrança pela rede bancária, cujas...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Consumidor

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade