Banco terá de pagar indenização à empresa por protesto indevido de título

Julgados - Direito Civil - Segunda-feira, 17 de outubro de 2005

O Banco do Estado do Paraná terá de pagar indenização por danos morais no valor de R$ 15 mil à Lelefran Indústria de Materiais de Construção Ltda., do Paraná, por protesto indevido de título. A decisão é da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça, ao dar provimento a recurso do banco para reduzir o valor da indenização.

A empresa entrou na Justiça contra o banco após ter título protestado no valor de mais de R$ 3 mil. Em primeira instância, a ação de indenização foi julgada parcialmente procedente, tendo o banco sido condenado ao pagamento de indenização equivalente a quatro vezes o valor do título. O banco e a empresa apelaram.

Após examinar a apelação, o Tribunal de Justiça reformou a sentença, aumentando o montante para R$ 30.795,70, equivalente a dez vezes o valor do título. "Ação ordinária de indenização – danos morais – protesto indevido – julgamento antecipado - possibilidade – cerceamento de defesa – inocorrência – culpa demonstrada – dano presumido – valor da indenização – majoração – gravidade da conduta – caráter preventivo – reforma da sentença – apelo do réu desprovido – recurso da autora provido", diz a ementa.

Com base no artigo 105, inciso III, letra "c", da Constituição Federal, o banco recorreu ao STJ, argumentando ter sido excessivo o valor arbitrado a título de indenização por danos morais. A Quarta Turma deu provimento ao recurso para reduzir o valor.

"Esta Corte tem admitido a redução do montante arbitrado a título de indenização por danos morais, quando se mostrar desarrazoado, conforme ocorre na espécie", considerou o ministro Fernando Gonçalves, relator do recurso. "Em casos semelhantes, este Tribunal tem fixado a indenização em valor equivalente a 50 (cinqüenta) salários mínimos".

O ministro lembrou, ainda, que a indenização por dano moral deve ser graduada de modo a coibir a reincidência, mas não permitir o enriquecimento da vítima. "Tem sido de cinqüenta salários mínimos a indenização por danos morais, resultante de situações semelhantes como a inscrição inadvertida em cadastros de inadimplentes, a devolução indevida de cheques, o protesto incabível de cambiais, etc, conforme precedentes desta Corte", acrescentou o ministro Fernando Gonçalves. "Ante o exposto, conheço do recurso e lhe dou provimento para reduzir o montante indenizatório em R$ 15.000,00", concluiu.

Matérias relacionadas

Réu preso em flagrante não precisa identificar-se corretamente a autoridades

O réu preso em flagrante não tem o dever de identificar-se corretamente à autoridade policial e ao Ministério Público, podendo exercer seu...

Confirmada jornada de seis horas a engenheiro bancário

Para excepcionar o bancário da jornada de seis horas diárias e configurar o exercício de cargo de confiança não bastam a mera denominação do...

Redução de jornada sem corte salarial não gera direito adquirido

A redução da jornada de trabalho, em caráter provisório, em função de dificuldades financeiras enfrentadas por prefeituras, não gera aos...

Medida Provisória que triplica prazo para entes públicos é inconstitucional

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu, no julgamento de um processo envolvendo a Fundação do Trabalho e Ação Social do Rio...

Omissão na manutenção de equipamento leva à condenação de Município

Município de Rio Grande deve indenizar morador que teve seqüelas irreversíveis devido à quebra de aparelho de ginástica disponibilizado ao...

Município não pode instituir imposto sobre serviços delegados

Por entender que não pode o Município instituir impostos sobre serviços delegados - atividades notariais, registrais e cartorárias - por serem...

Banco do Brasil indenizará professora por devolução indevida de cheque

O juiz Luiz Fernando Boller, titular do Juizado Especial Cível da Comarca de Tubarão, em Minas Gerais, julgou procedente pleito formulado pela...

Construtora terá que devolver bens de alienação fiduciária para banco

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou provimento ao recurso especial interposto pela Construcav Construtora Ltda., pedindo que...

Apreendidos computadores da Assembléia Legislativa de Rondônia

A Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE-RO) não conseguiu suspender a decisão do Tribunal de Justiça do local que, em medida...

Mato Grosso ainda deve fornecer medicamentos a paciente de hepatite C

O Estado do Mato Grosso continua obrigado a fornecer os medicamentos Interferon Peguilado Alfa-2A ou Alfa-2B e Ribavirina 250 a paciente portador de...

Temas relacionados

Julgados

Direito Civil

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade