Golden Cross é obrigada a custear cirurgia

Julgados - Direito Médico - Terça-feira, 13 de setembro de 2005

A Golden Cross Assistência Internacional de Saúde Ltda será obrigada a autorizar o procedimento cirúrgico conhecido como “fator de crescimento ósseo” de seu segurado Brazil de Paiva Valente, que sofreu diversas fraturas em um acidente de automóvel.

A decisão é do juiz Rogério de Oliveira Souza, da 20ª Vara Cível da capital. Apesar de ser cliente do plano de saúde desde 1984, Brazil teve o seu pedido de autorização negado, sob a alegação de que o procedimento, que consiste em extrair uma substância das plaquetas e transformá-la em um gel que é a aplicado junto com o enxerto ósseo, não encontrava cobertura contratual.

Em sua sentença, o juiz afirma que esse é mais um caso “dentre as dezenas de milhares em que os planos de saúde e seguradoras de saúde entendem por “interpretar” ao seu inteiro contento cláusulas contratuais dúbias e redigidas de forma a favorecer tais interpretações no futuro”.

O juiz Rogério de Oliveira Souza lembra, também, que o Código de Defesa do Consumidor alcança, de maneira direta e imediata, os contratos que se prorrogam no tempo por prazo indeterminado, devendo suas normas protetivas incidir direta e imediatamente em favor do consumidor.

Matérias relacionadas

Cabo eleitoral não é empregado de candidato

Para que seja configurada a relação de emprego de um cabo eleitoral com candidato ou partido político, ele precisa provar que não foi contratado...

É possível utilizar dados da CPMF em procedimento fiscal

É possível a utilização dos dados da CPMF em procedimento de fiscalização iniciado em data posterior à vigência da Lei nº 10.174/01. Com...

Espólio de devedor pode ser usado como pagamento de dívida

O espólio de Luiz Rodrigues da Costa, do Espírito Santo, não conseguiu reverter, no Superior Tribunal de Justiça, acórdão da Justiça capixaba...

Ações de busca e apreensão devem ser julgadas no foro do devedor

Em ações de busca e apreensão, deve prevalecer o foro do devedor, devendo ser afastada do contrato a cláusula abusiva de eleição de foro. A...

Afastada alegação de fraude em contratos descontínuos

A Seção Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou recurso de um ex-empregado da Indústria...

Recusar mudança de horário não caracteriza indisciplina

O direito do empregador de promover alterações no contrato de trabalho (o chamado jus variandi) só é legítimo quando não causa prejuízo ao...

TST examina atuação do Ministério Público na defesa do erário

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu, por maioria, confirmar decisão de segunda instância que rejeitou a atuação do...

A expressão ´negrão`, sem conotação pejorativa, não configura racismo

Não se pode admitir, em momento algum, sendo crime inafiançável e imprescritível, a prática de racismo, atitude repugnante que deve ser...

Empresa de telefone deve indenizar por instalar linha sem solicitação

O juiz auxiliar Eduardo Veloso Lago condenou uma empresa de telefone que instalou uma linha em nome de um músico sem que ele tenha feito o pedido....

Seguradora terá que indenizar por carro roubado em test drive

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma seguradora a indenizar uma concessionária de Uberaba, pelo furto de um...

Temas relacionados

Julgados

Direito Médico

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade