Banco não deve indenizar tesoureiro seqüestrado

Julgados - Direito do Trabalho - Terça-feira, 8 de novembro de 2005

Para a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), se não foi a empresa que violou a honra, a vida privada, a intimidade ou a imagem do trabalhador, ela não precisa indenizar o dano moral sofrido pelo empregado. Este foi o entendimento aplicado no julgamento do Recurso Ordinário de um ex-empregado do Banco Itaú S.A.

O bancário, que atuava como chefe de tesouraria de agência, ingressou com ação na 65ª Vara do Trabalho de São Paulo. Ele reclamou, entre outras verbas, indenização por danos morais por ter sido vítima de seqüestro. No entender do reclamante, ele foi seqüestrado em virtude de suas funções que exercia como empregado do Itaú.

Testemunhas na ação confirmaram que ele mantinha cópia da chave do cofre e tinha acesso ao alarme da agência.

Como a vara negou o pedido de reparação pelos danos morais, o bancário recorreu ao TRT-SP.

Segundo o juiz Sérgio Pinto Martins, relator do recurso no tribunal, consta do processo que foi oferecido ao reclamante o apoio de assistente social e o afastamento ou a transferência de agência, tendo ele recusado as ofertas.

Para o relator, "não houve violação à integridade física do autor ou de sua família por parte da empresa. Não foi violada a honra, a vida privada, a intimidade ou a imagem do autor por parte do banco". Ele acrescentou que também não houve "imprudência ou negligência do banco em relação ao autor".

"A empresa não deu causa ao seqüestro. A empresa não fez nenhuma ameaça ao autor. Quem fez ameaça ao autor foi o seqüestrador. Assim, o autor deveria pedir indenização por dano moral aos seqüestradores", observou o juiz Pinto Martins.

Por unanimidade, os juízes da 2ª Turma acompanharam o voto do relator.

Matérias relacionadas

Crédito-prêmio IPI não serve para compensação de crédito tributário

Por cinco votos a três, a Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça acaba de decidir que empresas não podem utilizar o incentivo fiscal...

Autarquia interestadual não tem privilégio processual

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) não detém os privilégios processuais comuns aos órgãos públicos, dentre eles a...

Editor de publicação empresarial tem direito a jornada especial

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve a condenação imposta à Construtora Andrade Gutierrez de pagamento de horas extras além da...

TST declara validade de regime salarial na Vale do Rio Doce

A Seção Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou recurso de um grupo de funcionários da Companhia...

E-mail depreciativo gera indenização por dano moral

A elaboração e divulgação de mensagem eletrônica (e-mail) com conteúdo depreciativo à imagem de uma determinada empresa configura ato...

Juíza determina que listas telefônicas sejam entregue gratuitamente

A juíza da 28ª Vara Cível de Belo Horizonte, Mariza de Melo Porto, determinou que a Telemar envie, gratuitamente, a todos os assinantes,...

Empresário acusado de matar esposa será levado a Júri popular

Será no salão do I Tribunal do Júri de Belo Horizonte, o julgamento do empresário acusado de matar a esposa em frente a um Shopping Center. A...

Menor acidentado no trabalho recebe indenização da empresa

Se o empregador viola dispositivo da Constituição Federal, atribuindo a trabalhador menor a execução de tarefa perigosa, deve indenizá-lo pelo...

Concessionária condenada a indenizar cliente por defeito em veículo

A 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma concessionária de veículos de Uberlândia a indenizar, a título de...

Plano de saúde cobre despesas de quimioterapia em outro Estado

A 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais considerou uma cooperativa de trabalho médico sediada em Uberlândia responsável pela...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade