Empresário acusado de matar esposa será levado a Júri popular

Julgados - Direito Penal - Quarta-feira, 9 de novembro de 2005

Será no salão do I Tribunal do Júri de Belo Horizonte, o julgamento do empresário acusado de matar a esposa em frente a um Shopping Center. A sessão será presidida pelo juiz do II Tribunal do Júri, Glauco Eduardo Soares Fernandes. Apesar de o processo tramitar no II Tribunal do Júri, o julgamento será no I, por causa de espaço.

Segundo o processo, no dia 12 de fevereiro de 2001, à tarde, na Avenida Olegário Maciel, em frente ao Shopping Diamond Mall, o empresário emparelhou seu carro junto com de sua ex-esposa e professora, Márlia Mesquita de Moraes, e deu vários tiros. O empresário fugiu do local.

A prisão preventiva foi decretada desde o início das investigações porque havia fortes indícios da autoria do crime e porque os filhos alegaram que estavam sendo ameaçados. Porém, em 12 de fevereiro de 2002, por motivo de doença, o empresário passou a cumprir a pena em prisão domiciliar. Em 03 de fevereiro de 2003, a prisão domiciliar foi revogada pelo juiz presidente do II Tribunal do Júri "por descumprimento das condições impostas e falta de comprovação de tratamento médico".

O empresário voltou para a prisão, mas, pouco tempo depois, conseguiu um Hábeas Corpus no TJMG e aguarda, desde então, o julgamento em liberdade.

Matérias relacionadas

Menor acidentado no trabalho recebe indenização da empresa

Se o empregador viola dispositivo da Constituição Federal, atribuindo a trabalhador menor a execução de tarefa perigosa, deve indenizá-lo pelo...

Concessionária condenada a indenizar cliente por defeito em veículo

A 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma concessionária de veículos de Uberlândia a indenizar, a título de...

Plano de saúde cobre despesas de quimioterapia em outro Estado

A 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais considerou uma cooperativa de trabalho médico sediada em Uberlândia responsável pela...

Administração de Estádio condenada por roubo de moto em feira

A Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou a Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg) a...

Empresa que recusou nota de R$ 10 pagará R$ 5 mil de indenização

Uma passageira que teve uma nota de R$ 10,00 recusada num ônibus da Viação União vai receber R$ 5 mil de indenização por danos morais. A...

Petrobras condenada a indenizar pescadores da Baía de Guanabara

A 3ª Vara Cível do Rio de Janeiro condenou a Petrobras a pagar indenização para pescadores da Baía de Guanabara pelos prejuízos que lhes foram...

Empresa de ônibus é condenada por imperícia de funcionário

A 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do Rio, por unanimidade, confirmou a sentença do juiz Paulo Roberto Corrêa, do 9º Juizado...

Igreja Universal terá de pagar indenização a Empresa de Transportes

A 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio condenou a Igreja Universal do Reino de Deus a pagar indenização de R$ 3.947,28, por danos...

Aderente de demissão voluntária não pode ser reintegrado ao serviço público

Ex-servidor público que aderiu a plano de demissão voluntária não tem o direito à anistia nem à reintegração ao serviço público. Esse...

Negado habeas-corpus a aposentado acusado de tráfico de órgãos

Os ministros da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitaram, em votação unânime, recurso em habeas-corpus em favor do...

Temas relacionados

Julgados

Direito Penal

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade