STJ cria súmula sobre valores pagos indevidamente em abertura de crédito

Notícias - Direito do Consumidor - Quinta-feira, 24 de novembro de 2005

A jurisprudência da Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) já está solidificada no sentido de que, para o recebimento de valores pagos indevidamente nos contratos de abertura de crédito em conta-corrente, não é necessária a prova de erro, já que os lançamentos são feitos pela própria instituição financeira credora. Dessa forma, os ministros da Seção editaram uma nova súmula nesse sentido.

A nova súmula – de número 322 – afirma: "Para a repetição de indébito, nos contratos de abertura de crédito em conta-corrente, não se exige a prova do erro". Segundo o entendimento dos ministros, aplica-se a esses casos o princípio que impede o enriquecimento ilícito do credor.

A Súmula 322 tem como base legal o artigo 965 do Código Civil de 1916 e o artigo 877 do Código novo, segundo o qual "àquele que voluntariamente pagou o indevido incumbe a prova de tê-lo feito por erro". Os precedentes são: AgRg no Ag 306.841-PR (3ª T 13/08/01 – DJ 24/09/01); AgRg no REsp 633.749-RS (3ª T 26/08/04 – DJ 16/11/04); AgRg no Ag 641.382-RS (3ª T 19/05/05 – DJ 06/06/05); REsp 176.459-RS (4ª T 23/11/98 – DJ 15/03/99); REsp 205.990-RS (4ª T 18/05/00 – DJ 07/08/00), e REsp 184.237-RS (4ª T 05/10/00 – DJ 13/11/00).

A súmula, embora não tenha efeito vinculante, resume o entendimento vigente no tribunal sobre um assunto e serve de referência para os outros tribunais do País sobre a posição dominante na Corte acerca da questão. Sua eficácia, contudo, só se dá após publicação no Diário da Justiça.

Matérias relacionadas

Súmula dispõe inscrição nos serviços de proteção ao crédito só por cinco anos

A súmula aprovada pela Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) trata do prazo de manutenção da inscrição de nomes em cadastros de...

Oficiais de justiça podem ter autorização para porte de arma de fogo

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou autorização para porte de arma de fogo por oficiais de justiça, para...

Brasil e Marrocos podem ter acordo turístico

As comissões de Turismo e Desporto; e de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovaram o Projeto de Decreto Legislativo 1913/05, que ratifica o...

Projeto define que só farmácias devem aviar determinadas receitas

A Câmara analisa o Projeto de Lei 5971/05, do Senado Federal, que altera a Lei 5991/73 para definir que somente as farmácias poderão captar...

Deputado critica penas brandas na área do esporte

O deputado Silvio Torres (PSDB-SP), integrante da Comissão de Turismo e Desporto, criticou a legislação penal brasileira aplicada ao esporte....

Usinas no Pantanal são uma aberração, diz deputado

O primeiro-secretário da Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Ary Rigo (PDT), classificou o projeto de implantação de usinas de...

Judiciário de Mato Grosso cumprirá lei do nepotismo

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador José Jurandir de Lima, assinou duas portarias relacionadas ao cumprimento da...

Regime de ação rescisória trabalhista pode ter alteração

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4735/04, do Executivo, que altera o regime da ação...

Crime de tráfico de animais pode ser tipificação

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou o Projeto de Lei 347/03, de autoria da Comissão Parlamentar de Inquérito...

Processo penal militar pode ter mudanças

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional aprovou o Projeto de Lei 5650/05, do deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS), que modifica...

Temas relacionados

Notícias

Direito do Consumidor

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade