Diciona

Usinas no Pantanal são uma aberração, diz deputado

Notícias - Direito Ambiental - Quinta-feira, 24 de Novembro de 2005

O primeiro-secretário da Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Ary Rigo (PDT), classificou o projeto de implantação de usinas de álcool em áreas de Pantanal como uma "aberração". Ele convidou duas professoras da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Unider) para acompanhar o debate e, durante sua exposição, pediu que elas explicassem os impactos ambiental e econômico do projeto.

Uma das professoras, Maria Silva Gervásio, disse que o vinhoto é poluente porque, em contato com a água, retira o oxigênio, provocando a morte dos peixes. O impacto poluente do vinhoto, segundo ela, é 300 vezes maior do que o dos esgotos domésticos. Ela afirmou também que o projeto não considera o transbordamento dos rios da região e, em caso de acidente, o desastre ambiental seria mais grave.

Sobre o impacto econômico, Maria Silva Gervásio argumentou que a maior parte dos empregos que serão gerados pelas usinas são sazonais e acredita que a preservação dos mananciais e da biodiversidade terá, no futuro, uma importância econômica muito maior do que as usinas de álcool.

A outra professora, Rosane Siqueira Bertucci, disse que o projeto do governo é inconstitucional, pois o Pantanal é considerado um patrimônio nacional pela Constituição.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato