TST assegura a vigilante baleado diferenças de seguro de vida

Julgados - Direito do Trabalho - Quarta-feira, 1 de dezembro de 2004

O TST condenou empresa a pagar a importância de R$ 32.417,91 a um vigilante aposentado por invalidez depois de levar três tiros durante uma tentativa de assalto a uma agência do Banco de Brasília.

Apesar de a convenção coletiva de trabalho prever uma cobertura de R$ 40 mil para casos de invalidez, por acidente ou doença de qualquer natureza, o vigilante recebeu somente R$ 7.582,09.

O vigilante argumentou que, ao contratar um seguro completamente distinto da convenção coletiva de trabalho, em situação inferior ao estabelecido, a empresa atraiu para si a responsabilidade de responder pelo insucesso da premiação securitária.

Matérias relacionadas

Inconstitucional honorários advocatícios aos Procuradores Municipais

Ilegal a lei municipal que prevê a destinação dos honorários de sucumbência ou arbitramento, em ação judicializada que venha a ser vencedor o...

Vigilante sem colete à prova de balas tem direito a indenização

Vigilante bancário que não recebe colete à prova de balas para trabalhar pode pedir rescisão do contrato de trabalho e receber indenização....

STF decide que delegados de polícia de Goiás não têm prerrogativa de foro

O Plenário do STF julgou inconstitucional dispositivo da Constituição do Estado de Goiás que prevê prerrogativa de foro para delegados de...

Empregado de sociedade de economia mista não possui estabilidade

A estabilidade no emprego prevista no art. 19 das Disposições Transitórias da Constituição (ADCT) não se estende aos trabalhadores de...

CDC é inaplicável no contrato de crédito educativo

O estudante carente beneficiado com o Programa de Crédito Educativo não retrata a figura do consumidor, não havendo, dessa forma, a incidência do...

TST barra reajuste automático de funcionários de hospital

O TST acolheu recurso do pronto-socorro municipal de Fortaleza (CE), e limitou a possibilidade de reajuste automático dos salários de seus...

Para indenização, o prazo prescricional começa ao se saber da incapacidade

O prazo prescricional, em caso de ação de indenização, é de um ano a contar da data em que o segurado passa a saber, sem dúvida alguma, não...

TST confirma direito de inativos da CEF a auxílio-alimentação

A supressão do pagamento do auxílio alimentação aos aposentados e pensionistas da Caixa Econômica Federal, determinada pelo Ministério da...

Portador de Mal de Parkinson pode fazer levantamento do FGTS

É possível levantamento em uma única parcela do saldo existente em conta vinculada de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) por portador...

Não se nega recurso com base em súmula contrária à jurisprudência do STJ

O STJ, interpretando o artigo 557 do Código de Processo Civil, definiu que o relator de um processo pode negar seguimento a recurso contrário à...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade