Proprietária de um microônibus consegue se livrar de multas de trânsito

Julgados - Direito do Trânsito - Terça-feira, 27 de dezembro de 2005

Foi declarada indevida multa aplicada a uma motorista e excluída a perda de pontos a ela correspondentes. A decisão é do juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública Municipal da comarca de Belo Horizonte, Alyrio Ramos.

A motorista informou ser proprietária de um microônibus, utilizado para transporte escolar, tendo recebido, em maio deste ano, multas no valor de R$ 442,44 e R$ 147,48, bem como oito pontos na CNH, em virtude do enquadramento que tipifica “permitir que pessoa não autorizada pela BHTRANS dirija o veículo ou exerça a função de acompanhante.” Alegou que o condutor que sofreu as multas possuía registro de condutor válido até 20/07/05. Sustentou que foram aplicadas multas pela mesma infração com valores diferentes, sendo o valor de R$ 442,44 superior ao estabelecido.

Em sua defesa, a BHTRANS argumentou que a autuação da autora obedeceu ao Regulamento do Serviço de Transporte Escolar de Belo Horizonte e que a perda de pontos ocorreu no prontuário de ocorrências do serviço e não na CNH.

Ao decidir, o juiz destacou que uma das multas aplicadas foi devida uma vez que o condutor ainda não estava autorizado pelo órgão competente. Determinou, no entanto, que seja a mesma reduzida para R$ 147,48, valor correspondente à infração cometida.

Em relação à outra multa, o juiz considerou-a indevida, por ter sido aplicada quando o condutor já estava autorizado a dirigir o veículo.

Matérias relacionadas

Nome no SPC por linha telefônica fraudulenta gera indenização a consumidor

O juiz da 27ª Vara Cível de Belo Horizonte, Luiz Artur Rocha Hilário, determinou que uma empresa de telefone indenize um cliente, por danos...

Suspensa lei que proibia assédio moral em município do RS

O Desembargador João Carlos Branco Cardoso, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, suspendeu a vigência da Lei nº 2.335/05, de Quaraí, que...

Ambulante que compra os produtos que vende não é empregado

O vendedor ambulante que adquire produtos da empresa que representa para comercializar mediante visitas a residências, não pode ser considerado...

Estado do Mato Grosso pode licitar equipamentos de informática

A liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso em favor da Houter do Brasil Ltda. foi suspensa ontem à noite pelo ministro...

Negada liminar a empresa despejada por falta de pagamento de aluguel

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, negou mandado de segurança impetrado pela ND Aços Especiais contra...

Três homens acusados de tráfico de entorpecentes permanecerão presos

O presidente em exercício do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Antônio de Pádua Ribeiro, negou liminares em habeas-corpus a três...

Continua preso Pai-de-Santo que se passava por padre e aplicava golpes

Acusado de falsidade ideológica, o pai-de-santo Donizete Souza Braga, o Geremias de Ogum, vai permanecer preso. O presidente em exercício do...

Justiça do Trabalho é competente para examinar constitucionalidade de lei

Cabe à Justiça do Trabalho (JT) o exame de ação civil pública em que se questiona a constitucionalidade de lei municipal que promoveu a...

Comprador não é responsável subsidiário no contrato de facção

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho confirmou decisão de segundo grau na qual a Cia. Hering, a Companhia de Tecidos Norte de Minas –...

Divulgação de imagem de trabalhador fantasiado não gera dano moral

O trabalhador que atua em casa noturna assume os riscos eventuais que essa atividade pode acarretar à vida religiosa. Com essa observação do juiz...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trânsito

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade