Bancário perde gratificação de década por justo motivo

Julgados - Direito do Trabalho - Terça-feira, 9 de agosto de 2005

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve decisão de segunda instância que negou a um bancário a reposição da gratificação que recebeu por mais de dez anos. Pelo princípio da estabilidade financeira, a jurisprudência do TST assegura ao empregado a manutenção da gratificação de função recebida por período igual ou superior a uma década se o empregador determinar, sem justo motivo, o seu retorno ao cargo efetivo.

No caso do bancário, entretanto, foi comprovado que houve motivo justificável para o seu descomissionamento, ocorrido em 1995, quando ocupava a função de gerente geral de agência do Banco do Brasil. Ele sofreu censura num processo disciplinar, o que, pelas normas internas do banco, seria incompatível com a função que ocupava. Para o Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (15ª Região), a ´transgressão às regras do cargo` justificou a perda da gratificação.

Se houver justo motivo, o empregador pode, sim, reverter o empregado ao cargo efetivo, retirando-lhe a gratificação de função recebida por mais de dez anos, ´sem que esse ato importe alteração unilateral das condições contratuais ou redução ilícita do montante salarial`, disse o juiz convocado do TST Walmir Oliveira da Costa, relator do recurso, ao confirmar a decisão do TRT, adotada de acordo com a Súmula nº 372 do TST.

Matérias relacionadas

Confirmada base de cálculo mais ampla para horas extras

A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho confirmou, por unanimidade, o direito de um ex-empregado da Companhia de Saneamento Básico do...

Policial que oferece proteção a condomínio não é empregado

O policial que presta serviços de ´segurança informal` em revezamento com outros colegas, não mantém relação de emprego com o condomínio que...

Declaração de autenticidade pelo advogado é indispensável

A Seção Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) do Tribunal Superior do Trabalho decidiu que é indispensável que o advogado declare a...

Negado habeas-corpus a acusado de comercializar anabolizantes para gado

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) indeferiu o pedido de habeas-corpus impetrado por Álvaro Abreu Ribeiro, denunciado por suposta...

Rio Grande do Sul sujeito a multa por não fornecer remédio a doente renal

O Estado do Rio Grande do Sul está sujeito a multa em caso de descumprimento de decisão judicial que o obriga a fornecer o medicamento Noripurum,...

Consumidor indenizado por inclusão indevida em cadastro de devedores

A inscrição indevida do nome de devedor em cadastros de proteção ao crédito, sem prévia comunicação por escrito, caracteriza danos morais que...

Estado não pode suspender sentença em ação contra empresa privada

O estado não pode pedir suspensão de liminar ou sentença em ação movida contra empresa privada, mesmo que haja suposta ameaça à ordem e...

Recurso sem assinatura do advogado é considerado inexistente

A falta de assinatura do advogado em recurso na instância especial torna-o inexistente. Além disso, a decisão, da Quarta Turma do Superior...

Se banco fecha antes do protocolo, prazo para recurso pode ser prorrogado

O prazo de preparo para a interposição de recurso pode ser prorrogado para o dia subseqüente ao do término, quando o expediente bancário for...

Concedido habeas-corpus a acusado de desmatamento

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em decisão unânime, revogou o decreto de prisão preventiva do fazendeiro Antenor Duarte do...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade