Remuneração detalhada em contracheque afasta salário complessivo

Julgados - Direito do Trabalho - Quinta-feira, 21 de julho de 2005

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho considerou a discriminação das parcelas remuneratórias no contracheque do trabalhador como suficiente à exigência da legislação (CLT), que proíbe o englobamento do salário, também chamado de salário complessivo.

A tese levou ao deferimento de recurso de revista interposto pelo Serviço Social da Indústria (SESI) contra decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (com jurisdição no Maranhão).

O órgão de segunda instância havia reconhecido o direito de um ex-empregado do SESI ao pagamento de diferenças salariais. A decisão deveu-se à ausência de discriminação das verbas na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) do ex-empregado.

O documento só trazia o valor total da remuneração. O detalhamento do salário-base e demais parcelas aparecia apenas nos contracheques e o somatório correspondia ao valor anotado na CTPS.

Segundo o TRT maranhense, a conduta adotada pelo SESI no registro do pagamento da remuneração afrontou a Súmula 91 do TST, que considera nula a cláusula do contrato de trabalho que fixa determinado valor para atender de forma englobada os direitos do empregado.

´O SESI agiu de forma errônea ao consignar um determinado valor na CTPS como salário, sem fazer qualquer ressalva acerca de outras parcelas, e, apenas nos contracheques, efetuar os cálculos das demais parcelas remuneratórias com base em outro salário, devendo, por isso, arcar com as conseqüências de seus atos`, registrou a decisão regional.

O equívoco regional foi evidenciado no TST. O ministro Renato de Lacerda Paiva, relator do recurso, aceitou os argumentos do SESI de que ´a composição da remuneração era de nítida percepção, no tocante às parcelas que a compunham`.

Foi observado que, no contracheque e na ficha financeira do trabalhador, ´estavam discriminadas, separadas, bem distintas, as parcelas integrantes da remuneração, e que sobre as mesmas eram pagas todas as obrigações legais`. Os fatos afastaram a alegação do TRT sobre a existência de salário complessivo.

Renato Paiva destacou que a proibição ao salário complessivo ´visa proteger o trabalhador, possibilitando que ele saiba, exatamente, quanto está recebendo bem como a natureza das parcelas que lhe foram pagas pelo empregador`. No caso concreto, o objetivo foi alcançado pelo SESI, pois ´a especificação detalhada das parcelas nos contracheques é suficiente para impedir a complessividade do salário`.

O ministro do TST destacou, ainda, a inexistência de qualquer dispositivo legal que estabeleça a obrigatoriedade do detalhamento da remuneração na CTPS. O artigo 29 da CLT, lembrou Renato Paiva, só determina a anotação da remuneração e determina a especificação da estimativa das gorjetas, o que não foi objeto da ação.

Matérias relacionadas

Mantido decreto de prisão civil contra pai por não pagar pensão alimentícia

Está mantido o mandado de prisão civil expedido contra C.P. de C, do Rio de Janeiro, por falta de pagamento de pensão alimentícia. O...

Pastor acusado de atentado ao pudor tem liminar negada

Negada liminar a pastor acusado de atentado violento ao pudor. O ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira, vice-presidente do Superior Tribunal de...

Mantida liminar que permite empresa brasileira a utilizar a marca ´All Star`

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Sálvio de Figueiredo, negou pedido da empresa Converse Inc. para que fosse...

Pais perdem o poder sobre o filho por falta de condições psicológicas

Quando for evidenciada negligência e falta de condições psicológicas, e não apenas falta de recursos materiais, é viável a destituição do...

Homem preso indevidamente deve ser indenizado pelo Estado

A 9ª Câmara Cível do TJRS condenou o Estado do Rio Grande do Sul a indenizar homem, preso indevidamente por agentes policiais. O julgamento...

Imobiliária que não urbanizou loteamento como previsto deve indenizar

Consumidor que adquiriu imóvel em loteamento e não teve as obras de urbanização do local realizadas, conforme contratadas, tem direito a...

Advogado particular do INSS pode atuar onde há agência

A Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu a prerrogativa de o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) valer-se de advogados...

Confirmada incidência de juros de mora em precatório

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho, em decisão unânime, reconheceu a incidência de juros de mora sobre o pagamento atrasado de...

Fiat não obtém liminar que suspenda processo pela morte de Chico Science

A Fiat Automóveis S/A não conseguiu, no Superior Tribunal de Justiça, a liminar que pediu para conceder efeito suspensivo ao recurso especial que...

Itinerário indevido gera cobrança a autor da ação

A 4ª Turma de Recursos de Criciúma, em Santa Catarina, confirmou na íntegra decisão do juiz Luiz Fernando Boller, titular do Juizado Especial...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Trabalho

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade