Diciona

Embalagens de remédios podem ter mudança

Notícias - Direito do Consumidor - Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2005

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio aprovou o Projeto de Lei 530/03, do deputado Carlos Nader (PL-RJ), que cria normas de segurança para embalagens de remédios, produtos químicos e inflamáveis de uso doméstico. O relator na comissão, deputado Lupércio Ramos (PMDB-AM), defendeu a aprovação da medida, com emenda ao texto.

Segundo o projeto, os produtos caseiros que ofereçam riscos à saúde deverão ser comercializados em embalagens especiais que dificultem a abertura por parte de crianças menores de cinco anos, as principais vítimas de intoxicação doméstica.

As normas estabelecidas pelo projeto, se descumpridas, ficarão sujeitas às penas previstas nas legislações sanitária e de defesa do consumidor.

Dados do Ministério da Saúde revelam que os acidentes com medicamentos são responsáveis por 28% dos casos de intoxicação humana registrados no País, sendo 35% deles entre crianças menores de cinco anos. Além disso, produtos de uso doméstico (hipoclorito, soda cáustica, amoníaco, ácidos, detergentes e outros) causam cerca de 9% dos casos de intoxicações - 18% entre os menores de cinco anos.

A emenda apresentada pelo relator determina que nos rótulos das embalagens constem informações para primeiros socorros e as seguintes advertências: "Cuidado: perigosa a sua ingestão" e "Conservar o produto longe do alcance de crianças". Para Lupércio Ramos, as advertências deverão conscientizar o consumidor sobre os perigos aos quais poderá estar exposto ao manipular ou consumir determinado produto.

O projeto, já aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família, tramita em caráter conclusivo e segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.






Todos os direitos reservados

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização

Política de Privacidade | Editorial | Contato