Empresa de ônibus indeniza passageira assaltada

Julgados - Dano Moral - Quarta-feira, 21 de setembro de 2005

Uma concessionária de serviço de transporte de passageiros de Belo Horizonte terá que indenizar, por danos morais, em valor equivalente a trinta salários mínimos, uma passageira que foi assaltada dentro do coletivo da empresa. A decisão é da 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

De acordo com o processo, no dia 22 de janeiro de 2004, por volta das 22h45min, a passageira, grávida de 6 meses, embarcou em ônibus da linha 9403, sentido centro/Caiçara. Quando o coletivo transitava pela Av. D. Pedro II, dois passageiros, portando armas de fogo, anunciaram um assalto.

Segundo declarações da passageira, ela teve uma arma apontada em sua cabeça e, mesmo grávida, foi obrigada pelos marginais a abaixar-se entre as cadeiras do ônibus. Além de ter sofrido crise nervosa, ela teve também um sangramento, em conseqüência do ocorrido.

O juiz da 4ª Vara Cível de Belo Horizonte havia negado o pedido de danos morais, com o entendimento de que o assalto teria sido um fato isolado, que não poderia levar à responsabilização da empresa de ônibus.

Essa não foi, contudo, a conclusão dos desembargadores Dárcio Lopardi Mendes (relator), Dídimo Inocêncio de Paula e Elias Camilo, ao analisarem o recurso da passageira.

Segundo o relator, o dever maior de proteção e vigilância é do Estado, mas, no caso de assalto, a empresa concessionária do serviço público de transporte deve procurar meios de dificultar fatos dessa natureza, já que é de notório conhecimento, inclusive por publicações na imprensa, que aquela região tem alto índice de assaltos à mão armada.

Sendo o assalto fato previsível, a empresa tem responsabilidade objetiva, ou seja, responde pelos riscos de sua atividade.

Matérias relacionadas

Tribunal de Justiça de Minas Gerais autoriza corte de energia

A violação do medidor de energia elétrica é crime, e o consumidor, se não conseguir comprovar o autor da violação, deverá pagar a energia...

Reportagem investigativa considerada legal pela justiça

Uma reportagem investigativa veiculada em televisão, que se limitou a noticiar um fato verdadeiro, não é conduta ilícita e, assim, não deve...

Administradora de cartão de crédito indeniza policial

Um policial militar da cidade de Carandaí será indenizado, por danos morais, no valor de R$6.000,00, por uma administradora de cartão de crédito....

Negligência gera indenização de R$ 100 mil a bancária com câncer

Provoca dano moral o empregador que negligencia o encaminhamento do pedido de benefício ao INSS, em favor de empregado afastado para tratamento de...

Doença relacionada ao tabagismo confere indenização a fumante

A indústria Souza Cruz deve indenizar fumante, que contraiu Tromboangeíte Obliterante (Doença de Buerguer), relacionada diretamente ao tabagismo....

Blindagem de viaturas policiais é aprovada em comissão

A Comissão de Segurança Pública aprovou o Projeto de Lei 3402/04, do deputado Carlos Nader (PL-RJ), que determina a instalação de sistema de...

Ex-companheira não tem direito à indenização por serviços domésticos

Tratando-se de união estável, cabe à mulher que viveu um ano com o companheiro no final da vida o direito à moradia e à pensão pela mútua...

Tribunal deve reapreciar indenização de R$ 4 mi por bloqueio de cartão

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) terá que renovar o julgamento de recurso do Banco do Brasil (BB) contra sentença que o condenou,...

Ação penal por sonegação só é possível após processo administrativo

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) deu provimento ao recurso de R. de C. C. para trancar a ação penal contra ela por crime de...

Assegurada substituição processual ampla a sindicato

Em decisão unânime, a Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho confirmou o direito do sindicato atuar como substituto processual da...

Temas relacionados

Julgados

Dano Moral

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade