Financeira indeniza cliente por cobrança abusiva

Julgados - Direito do Consumidor - Domingo, 30 de outubro de 2005

A 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou uma companhia de crédito e financiamento a devolver, em dobro, a um comerciante de Uberlândia, os valores que lhe foram cobrados indevidamente nas prestações de um financiamento, e a retirar o nome do contratante do cadastro de inadimplentes.

Em setembro de 2001, o comerciante fez um empréstimo junto à financeira, no valor de R$6.700,00, para aquisição de um automóvel, e parcelou o pagamento em 36 prestações. Como garantia, a empresa pediu em troca o automóvel do comerciante, um Kadett SL/E, ano 96.

Após ter pago 14 parcelas do financiamento, num total de R$4.705,68, o comerciante verificou que o valor que ainda devia à empresa era de R$6.744,98 e concluiu que a atualização monetária das prestações era abusiva, o que fere o Código de Defesa do Consumidor. A partir daí, tornou-se inadimplente e solicitou a rescisão do contrato.

A empresa alegou que o contrato foi firmado a partir do conhecimento e concordância com todas as cláusulas expressas e que o contratante não tinha justificativa plausível para querer anular o contrato.

Os desembargadores Mota e Silva (relator), José Affonso da Costa Côrtes e Guilherme Luciano Baeta Nunes entenderam que a cobrança dos encargos por parte da financeira não foi feita com o devido respeito à legislação vigente.

Segundo os magistrados, o sistema francês de amortização, conhecido como Tabela Price, utilizado pela financeira, realiza a capitalização mensal dos juros, o que é ilegal. Houve também cumulação ilegal de comissão de permanência com juros de mora e multa.

“Considerando que as cláusulas contratuais devem ser interpretadas de maneira mais favorável ao consumidor, nos termos do art. 47 do Código de Defesa do Consumidor, deve ser substituída a comissão de permanência pela correção monetária, que deverá obedecer ao índice divulgado pela Corregedoria Geral de Justiça de Minas Gerais, que utiliza o índice INPC/IBGE”, concluiu o relator.

Matérias relacionadas

Jornal é condenado a pagar 50 mil por reportagem veiculada sem autorização

A juíza Vanessa de Oliveira Cavalieri Felix, da 17ª Vara Cível da Capital, condenou ontem (dia 25 de outubro) o jornal O Dia (que é representado...

SuperVia é condenada a indenizar marido que perdeu esposa atropelada por trem

A SuperVia Concessionária de Transportes Ferroviários foi condenada pela 33ª Vara Cível do Rio a pagar uma indenização de R$ 75 mil por danos...

Empresa de ônibus terá que indenizar passageira por acidente

A juíza da 17ª Vara Cível do Rio, Vanessa Cavalieri, condenou a Transportes Amigos Unidos a pagar indenização de R$ 54.500,00 a Kazuy Batista da...

Banco ABN terá que pagar indenização por saques indevidos

A juíza da 42ª Vara Cível do Rio, Maria Helena Machado, condenou o Banco ABN AMRO Real S/A a pagar R$ 8.136,99 a Emerson Gomes da Silva. Em 31 de...

Jorge Kajuru é condenado a indenizar Luciana Gimenez por danos morais

A 18ª Vara Cível do Rio condenou o comentarista esportivo Jorge Kajuru a pagar uma indenização de R$ 40 mil por danos morais à apresentadora de...

Justiça do Rio proíbe cobrança de pontos adicionais da Net

O juiz Alexander Macedo, da 8ª Vara Empresarial, deferiu, no dia 18 de outubro, a antecipação de tutela pedida pela Comissão de Defesa do...

Tribunal proíbe que filhos de Romário mantenham contato com o tio

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio cassou nesta terça-feira (dia 25 de outubro), a liminar concedida no dia 23 de setembro, que...

Interrupção de intercâmbio por suposto uso de drogas gera indenização

A 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul confirmou a condenação de AFS Intercultura Brasil, que terá que indenizar jovem...

Juízes não podem delimitar horário para atender advogados

A 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu, por unanimidade, as razões de recurso interposto pela Seccional do Pará da Ordem dos...

Hospital sem leito psiquiátrico não é obrigado a internar maníaco-depressivo

Negada a internação de paciente para tratamento de lesões ulceradas na Associação Hospital Agudo. Ele também sofre de psicose...

Temas relacionados

Julgados

Direito do Consumidor

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade