Banco Itaú condenado a indenizar viúva em Belo Horizonte

Julgados - Direito Civil - Quinta-feira, 14 de julho de 2005

O juiz da 30ª Vara Cível de Belo Horizonte, Wanderley Salgado de Paiva, determinou que um Banco Itaú pague a uma viúva e a seu filho a importância de R$27.400,00 referentes a um seguro de vida, R$3 mil de auxílio funeral e R$9 mil de indenização por danos morais.

Consta dos autos que a viúva requereu junto ao Itaú o seguro que o marido havia feito com o antigo Bemge, hoje Itaú. Desde 11/2/2002, ela tenta receber o seguro e também o auxílio funeral, mas o banco sequer a notificou sobre o pagamento ou não dos valores devidos.

O banco alegou, entre outros, que o contratante do seguro era divorciado, que não é instituição financeira do ramo securitário, que o direito dos autores está prescrito, que o seguro foi feito junto à Bemge Seguradora S.A.e que o inquérito policial que apura as causas da morte não foi concluído.

O juiz argumentou que o prazo prescricional para ajuizar ação de indenização é o conhecimento pelo interessado do sinistro, o que ocorreu em 11/3/2002, conforme as provas dos autos. E que, em 5/4/2004, reiniciou-se a contagem do prazo, uma vez que, enquanto o banco analisava o requerimento dos autores, estava suspenso o curso do prazo prescricional, de acordo com jurisprudência vigente. O juiz ressalta que o banco levou dois anos apenas para responder negativamente à pretensão da viúva.

Nos autos, há provas da inclusão do nome do marido em plano de seguro de vida em grupo. A demora em pagar o seguro evidencia o dano moral. ´Assim, a tese do Réu demonstra sua vontade consciente e deliberada de não cumprir de modo adequado seu dever perante a sociedade, sem se olvidar que, nos tempos modernos, reservou-se especial função social às empresas seguradoras, numa sociedade marcadamente capitalista, pois com o afastamento do estado de uma série de atribuições, inclusive no pertinente à sociedade do risco, as seguradoras adquiriram nova mentalidade quanto à importante missão que lhes foi reservada`, destacou o juiz.

Matérias relacionadas

Saques com cartão clonado levam banco a indenizar cliente

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Unidade Francisco Sales, condenou o Banco Itaú a indenizar Iracema Maria da Silva,...

Falta de provas leva à absolvição de acusados de retirada de órgãos

Por falta de provas e desencontro de informações, o juiz da 6ª Vara Criminal de Belo Horizonte, José Dalai Rocha, absolveu, dia 27/06, as sete...

Empregado que não trabalha apenas atendendo o telefone, não é telefonista

Para a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP), não é telefonista a empregada que exerce atividades simultâneas ao...

Casas Bahia é condenada por incluir nome de cliente no Serasa

A Casa Bahia Comercial Ltda, mais conhecida como Casas Bahia, foi condenada a pagar a Gerusa Mendes de Araújo, a título de indenização por danos...

Associado de plano de saúde será indenizado em R$ 18 mil

O plano de saúde Assim foi condenado pela 20ª Vara Cível do Rio a pagar uma indenização de R$ 18 mil por danos morais a uma criança que, em...

Casas Bahia condenada por prometer uma coisa e vender outra à cliente

2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do Rio, por unanimidade, rejeitou recurso interposto pelas Casas Bahia, e manteve a sentença da...

Supermercado condenado por vender bolo estragado para festa de aniversário

A 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou recurso da rede RDC supermercados (dona das marcas Champion e Carrefour)...

Concessionária terá que indenizar cliente por atraso na vistoria de seu carro

A Le Point Veículos, representante da Peugeot, foi condenada pela Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis do Rio a pagar uma indenização de...

Drogaria é punida por lesão corporal na aplicação de injeção

A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, por unanimidade, determinou que seja concedido o equivalente a 70 salários mínimos (R$ 21...

Vítima de atropelamento vai receber R$ 13 mil

Um pequeno comerciante de Nova Iguaçu foi condenado a pagar R$ 13 mil à vítima de atropelamento que, em razão do acidente de trânsito, teve que...

Temas relacionados

Julgados

Direito Civil

Outras matérias

Todas as matérias organizadas por assunto


Central Jurídica

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização.

Política de Privacidade